Formation and survival of in vitro protocormos of Cerrado Orchid of Goiás

Autores

  • D. C. S. Lemos Instituto Federal Goiano Campus Urutaí-GO.
  • G. R. Sousa Instituto Federal Goiano Campus Urutaí-GO.
  • A. D. V. Souza Universidade Estadual de Goias Câmpus Ipameri-GO
  • J. B. A. França Universidade Estadual de Goiás - Câmpus Ipameri-GO
  • M. R. Rosa Acadêmica em Agronomia, PIVIC/IF Goiano, Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí-GO
  • M. C. Vieira INSTITUTO FEDERAL GOIANO CAMPUS URUTAI-GO

DOI:

https://doi.org/10.36560/13620201007

Palavras-chave:

Floriculture, seedling production, fabric culture

Resumo

The Cerrado has wide plant diversity, including orchids. These plants need symbiosis with fungi for their germination to occur in the wild. In vitro or asbiotic cultivation is an alternative for the production of seedlings of this species. This diversity of orchids makes it much appreciated as pot plants, landscaping, with high commercial value. The objective of this work was to carry out the study for the development of a protocol for the germination and in vitro development of orchids. The experiment was carried out at the LABIOTEC Biotechnology Laboratory of the Federal Institute Goiano Campus Urutaí-GO. Catasetum sp native capsules from Goiás State, containing mature seeds were collected and disinfected in 50% sodium hypochlorite solution for 30 minutes and in laminar flow were washed four times in distilled and autoclaved water. They were then seeded in vitro in 258 mL glass vials containing 30 mL of MS medium enriched with vitamins and 0.0 Tryptone; 1.0; 2.0 and 3.0 g L-1. The pH of the medium was adjusted to 5.2 ± 0.1. The average time for germination and development of the protocorms varied from 3 to 7 days after sowing for the species under study. The dosage of 2.0 g L-1 is efficient for the development and maintenance of in vitro Catasetum protocorms up to 333 days. There was no development of shoot of Catasetum seedlings in any of the evaluated treatments. It was observed that the 3.0 g L-1 Tryptone dosage presented higher rates of fungal and bacterial contamination and oxidation

Biografia do Autor

D. C. S. Lemos, Instituto Federal Goiano Campus Urutaí-GO.

Acadêmica em Licenciatura em Biologia do Instituto Federal Goiano Campus Urutaí-GO.

G. R. Sousa, Instituto Federal Goiano Campus Urutaí-GO.

Acadêmica em Licenciatura em Química do Instituto Federal Goiano Campus Urutaí-GO.

A. D. V. Souza, Universidade Estadual de Goias Câmpus Ipameri-GO

Atualmente Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal Stricto Sensu pela Universidade Estadual de Goiás - Câmpus Ipameri com enfase em Propagação e Manejo de Frutíferas Nativas e Melhoramento de Hortaliça. Integrante do Grupo de Pesquisa de Gestão ambiental de sistemas de produção hortícola. Graduado em Agronomia pela Universidade Estadual de Goiás (2017). Tenho experiência na área de Agronomia com ênfase em recursos hídricos, saneamento ambiental e irrigação e drenagem pelo grupo de Pesquisa Recurso Hídricos e Saneamento Ambiental (2017).

J. B. A. França, Universidade Estadual de Goiás - Câmpus Ipameri-GO

Docente na UEG - Universidade Estadual de Goiás, nos cursos de Agronomia e Engenharia Florestal: atuação na área de fitotecnia, recursos hídricos, saneamento ambiental e meio ambiente. Doutora em Ciências Agrárias - Agronomia - Instituto Federal Goiano - Campus Rio Verde com ênfase em recursos hídricos. Mestre em Engenharia Agrícola na área de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental , Universidade Estadual de Goiás - Câmpus Henrique Santillo. Especialista em Docência do Ensino Superior - Instituto Federal Goiano - Campus Avançado Ipameri. Graduada em Agronomia pela Universidade Estadual de Goiás - Câmpus Ipameri, com ênfase na conservação do meio ambiente. Licenciatura plena em Pedagogia - Instituto de Educação e Ensino Superior de Samambaia, habilitada nas disciplinas das Séries iniciais do Ensino Fundamental e Educação Infantil. Técnica Agrícola com habilitação em Zootecnia e Agroindústria com atuação profissional na produção de produtos lácteos, criação de suínos e manejo de gado de corte EAFUR - Escola Agrotécnica Federal de Urutaí - GO e CEFET - Centro Federal de Educação Tecnológico de Urutaí - GO.

M. R. Rosa, Acadêmica em Agronomia, PIVIC/IF Goiano, Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí-GO

Acadêmica em Agronomia, PIVIC/IF Goiano, Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí-GO.

M. C. Vieira, INSTITUTO FEDERAL GOIANO CAMPUS URUTAI-GO

Doutora em Agronomia, área de concentração Produção Vegetal, pela Universidade Federal de Goiás (2014), Mestrado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Goiás (2011). Especialização em Docência Superior (FAC-Lions-UNITINS-2009); Especialização em Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Universidade Estadual de Goiás - 2011); Especialização em Biotecnologia Aplicada a Agroindústria (Universidade Estadual de Maringá - 2014). Graduação em Agronomia pela Universidade Estadual de Goiás (2005). Professora colaboradora de Biotecnologia e Responsável pelo Laboratório de Biotecnologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano. Possui experiência na área de Agronomia, com ênfase em Produção Vegetal e Biotecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Cerrado, nativas, Cultura de Tecidos Vegetais com florestais nativas, frutíferas e ornamentais; Meio ambiente; Educação Ambiental, Desenvolvimento Sustentável.

Referências

ARDITTI, J. Fundamentals of orchid biology. 2.ed. New York, John Wiley & Sons, 1992. 691 p.

CLAVIJO, A, I. G.,PICO, D. F. C.,ROJAS, L. G. Establecimiento in vitro de protocormos de Prosthechea sp. bajo diferentes concentraciones de ácido naftalenacético. MUTIS. 2016; 6(1):6-15.

COSTA, M. A. P. C.; BASTOS, M. J. S. M. B.;ROCHA, M. A.; HANSEN, D. S.; ALVES, R. M. O.; SOUZA, E. H.; GARCIA, F. R. Micropropagação de orquídea. In: Aspectos Práticos da Micropropagação. JUNGHANS, T. G.; SOUZA A. S.; Cap.8. p.373 a 392. 2ª Ed. rev. e ampl. Brasilia-DF, Embrapa. 2013.

DEZAN, L. F., CANASSA, F., SOUZA-LEAL, T., DIOGO, J. A., MASSARO, R., CORDEIRO, G. M., MORAES, C. P. G.; Crescimento in vitro de Schomburgkia gloriosaLindl. em meio de cultivo simplificados In vitro growth of Schomburgkia gloriosa Lindl. Using simplifiedculture media. IDESIA (Chile) v. 30, n. 2, Mayo-Agosto, 2012.

FELFILI, J. M., RIBEIRO, J. F., BORGES FILHO, H. C., VALE, A. T. Potencial econômico da biodiversidade do Cerrado: estádio atual e possibilidades de manejo sustentável dos recursos da flora. In:

AGUIAR, L. M. S.; CAMARGO, A. J. A. Cerrado: ecologia e caracterização. Brasília: Embrapa. 2004. p. 177-220.

GALDIANO, R. F. J., MANTOVANI, C., GOMES, E. S., GASPARINO, D. C., MORO, F. V. M., LEMOS, E. G. M. Morfologia da germinação de sementes e crescimento in vitro de Cattleya walkeriana Gardner em diferentes meios nutritivos.Comunicata Scientiae 5(4): 456-463, 2014.

LOPES, K. P., CARVALHO, J. M. F. C., ALMEIDA, F. C. A., ROCHA, M. S. Regeneração de gemas de algodoeiro(Gossypium hyrsutum) Revista Brasileira de Oleaginosas e Fibrosas., Campina Grande, v.8, n.1, p.771-778, 2004 hirsutum L. cv. BRS 201).

SAIPRASAD, G. V. S., RAGHUVEER, P., KHETARPAL, S., CHANDRA, R. Effect of various growth regulators on production of protocorm like bodies (plb's) in three orchid genera. Indian J. Plant Physiol. 7(N.S.):35–39; 2002.

SILVA, A. B., LIMA, P. P., OLIVEIRA, L. E. S., MOREIRA, A. L.In vitro growt handleaf anatomyof Cattleya walkeriana (Gardner, 1839) grown in natural ventilation system. PLANT BIOTECHNOLOGY BIOTECNOLOGIA VEGETAL. Rev.

Ceres v.61 no.6 Viçosa Nov./Dec. 2014.

SILVA, C. S., ARAÚJO, L. G., SOUSA, K. C. I.,CARVALHO, J. B. C., GONÇALVES, L. A.,CARNEIRO, L. L. Cultivo in vitro de Epiden drumnocturnum (Orchidaceae) ocorrente no Cerrado da região Centro-Oeste. Rodriguésia, 67(4): 1083-1091. 2016.

SILVEIRA, D. G.;,VIDAL, A. M., LEDO, C. A. S., SANTANA, J. R. F., SOUZA, F. V. D. S. Aspectos morfofisiológicos na pré-aclimatização in vitro e aclimatização de plantas de caroà . Rev. Ciênc. Agron. v.44 n.3 Fortaleza July/Sept. 2013.

SCHNEIDERS, D.; PESCADOR, R., BOOZ, R. M., SUZUKI, M.R . Germinação, crescimento e desenvolvimento in vitro de orquídeas (Cattleya spp., Orchidaceae). Rev. Ceres, Viçosa, v. 59, n.2, p. 185-191, mar/abr, 2012.

Downloads

Publicado

2020-05-29

Como Citar

Lemos, D. C. S., Sousa, G. R., Souza, A. D. V., França, J. B. A., Rosa, M. R., & Vieira, M. C. (2020). Formation and survival of in vitro protocormos of Cerrado Orchid of Goiás. Scientific Electronic Archives, 13(6), 1–7. https://doi.org/10.36560/13620201007

Edição

Seção

Agricultural Science

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>