Corn grains losses in the function of different speeds of the harvesting

Autores

  • E. Neves Unemat- Campus Universitário Nova Mutum
  • B. S. Oliveira Unemat- Campus Universitário Nova Mutum
  • W. D. A. Oliveira Unemat- Campus Universitário Nova Mutum

DOI:

https://doi.org/10.36560/13420201023

Palavras-chave:

Mechanized harvest, Productivity, Zea mays L.

Resumo

The main objective of this work was to quantify and evaluate the occurrence of corn grain losses due to the different speeds of the harvesting machine in the second harvest, considering that, in the state of Mato Grosso, corn cultivation, mainly in the off-season, has been gaining space every year due to the increase in both the quality and the quantity of grains planted and harvested in the state. The frame was made in relation to the size of the platform with 0.37 m in length, the frame was superimposed on the straw to collect the grains lost by the harvester. The experiment was carried out at speeds of 3.5; 4,5; 5.0; 5.5 and 6 km.h-1 with rotation of 540 per minute in the cylinder and concave in the opening position No. 05 corresponding to 50 mm of standardized opening for all speeds, where it was possible to observe that there were no significant losses of corn kernels with the speed of the harvester 3.5 km.h-1. The variation between the losses is 30.2 kg per hectare of whole corn grains, between the speeds of harvest tested. It was concluded that the speed of the harvester of 3.5 km.h-1 has lower losses of corn kernels when compared to the other speeds experienced, noting that this loss was lower, acceptable for maize.

Biografia do Autor

E. Neves, Unemat- Campus Universitário Nova Mutum

Departamento de Agronomia - Engenharia Agricola

Referências

ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; SPAROVEK, G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p. 711 – 728, 2013.

BENEDETTI. B. C. Fórum permanente de agronegócios. Qual tamanho do desperdício. 2009. Disponível em:

<http://www.unicamp.br/nepa/downloads/QualoTamanhodoDesperdicio.pdf>. Acesso em: 01 jul. 2019.

BERTONHA, R. S. et al. Perdas e desempenho de sementes de milho em dois sistemas de preparo do solo e velocidades de deslocamento da colhedora. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, v.11, n.3, p.243-253, 2012. Disponível em: <http://www.unicentroagronomia.com/imagens/noticias/artigo_fitotecnia.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília, 2009. 395 p.

CARREIRA, A. S; EPIRO, G. A; TANAKA, E. M. Perdas na colheita mecanizada de milho (Zea mays L.) na região de Cândido Mota e Pedrinhas Paulista. Vale do Paranapanema. 2013. Disponível em: <http://www.portalmaquinasagricolas.com.br/files/2015/02/Tecnologia- Colheita- Maior-aproveitamento-no-campo.pdf>. Acesso em: 12 jun. 2019.

CORTEZ, J. W. Perdas na colheita de milho em função da rotação do cilindro trilhador e umidade de grãos. Scientia Agrária, Curitiba, v. 9, n. 4, p. 505-510, 2008. Disponível em:

. Acesso em: 24 out. 2019.

COSTA, M. M. et al. Perdas quantitativas na colheita mecanizada do milho cultivado em espaçamentos reduzido e convencional. Seminário: Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, n. 2, p. 565-574, abr. 2012. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/wrevojs246/index.php/semagrarias/article/viewFile/6464/10473>. Acesso em: 11 jun. 2019.

CRUZ, C. J. et al. Cultivo do milho. Embrapa Milho e Sorgo. 6. ed. 2010. Disponível em:

<http://www.cnpms.embrapa.br/publicacoes/milho_6_ed/manejomilho.htm >. Acesso em: 08 jun. 2019.

IMEA- INSTITUTO MATO-GROSSENSE DE ECONOMIA AGROPECUÃRIA. 3ª Estimativa da Safra de milho – 2018/19. 2019. Disponível em: <http://www.imea.com.br/upload/publicacoes/arquivos/R403__3a_Estimativa_de_safra_de_milho_2018-19___23-04-2019.pdf>. Acesso em: 22 mai. 2019.

KAPPES, C. Sistemas de cultivo de milho safrinha no mato Grosso. In: XIII SEMINARIO NACIONAL DO MILHO SAFRINHA. Estabilidade e produtividade. DOURADOS.Anais.. 2013. Disponível em:

<http://www.cpao.embrapa.br/cds/milhosafrinha2013/palestras/5CLAUDINEIKAPPES.pdf>. Acesso em: 24 jun. 2019.

KÖPPEN. Classificação climática. Disponível em:<http://meteo12.nforum.biz/t17-classificacao-climatica-de-koppen>. Acesso em 15 jan. 2019.

MANTOVANI, E. C. Cultivo do Sorgo. Colheita e pós colheita. 4 ed. 2008. Disponível em:

<http://www.cnpms.embrapa.br/publicacoes/sorgo_4_ed/colheita_regulagem.htm>. Acesso em: 28 mai. 2019.

MANTOVANI, E. C. Cultivo do Milho. Colheita e pós colheita.6 ed. 2010. Disponível em:

<http://www.cnpms.embrapa.br/publicacoes/milho_6_ed/colregula.htm>. Acesso em: 28 mai. 2019.

MANTOVANI, E. C; SANTOS, J. P; FONSECA, M. J. O. Cultivo do milho. Colheita e pós-Colheita. 5 ed. 2009. Disponível em:

<http://www.cnpms.embrapa.br/publicacoes/milho_5_ed/colheita2.htm>. Acesso em: 24 jun. 2019.

MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes (RAS). Brasília, 2009. 395 p.

MAURINA, A. C. Perdas na colheita mecanizada da soja - Safra 2011/2012. Levantamento de prevenção de perdas na colheita da soja no estado do Paraná - safra 11/12. Curitiba. 2012. Disponível em:

<http://www.emater.pr.gov.br/arquivos/File/Biblioteca_Virtual/Relatos_Resultados_e_Planejamentos/Perdas_na_Colheita/Rel_perdas_colheita_2011_2012.pdf >. Acesso em: 12 mai. 2019.

MELLO, A. J. R. 2006. Produtividade e perdas na colheita de dois cultivares híbridos de milho em função da velocidade de semeadura. Jaboticabal. 56 f. Dissertação. Disponível em:

<http://www.fcav.unesp.br/download/pgtrabs/cs/m/2544.pdf>. Acesso em: 05 mai.2019.

MESQUITA, C. M. et al. Monitoramento das perdas de grãos na colheita de soja. Londrina: Embrapa Soja, 2011, p 14. Disponível em:

<http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/907539/1/manualcompleto3.pdf>. Acesso em: 12 mai. 2019.

OLIVEIRA, T. C. et al. Perdas quantitativas na colheita mecanizada de milho safrinha na região norte de Mato Grosso. AGRARIAN ACADEMY, v.1, n.02; p. Sinop. 2014. Disponível em:

<http://www.conhecer.org.br/Agrarian%20Academy/2014b/perdas%20quantitativas.pdf>. Acesso em: 28 mai. 2019.

PEIXOTO, C. M. O milho no Brasil, sua importância e evolução. 2014. Disponível em:

<http://www.pioneersementes.com.br/media-center/artigos/165/o-milho-no-brasil-sua-importancia-e-evolucao>. Acesso em: 22 jun. 2019.

TORRES, M. Novo padrão de classificação do milho é aprovado. Ano 05. ed 30. Jornal eletrônico da Embrapa milho e sorgo. Sete Lagoas. 2011. Disponível em:

<http://www.cnpms.embrapa.br/grao/30_edicao/grao_em_grao_materia_02.htm>. Acesso em: 27 out. 2019.

VENEGAS, F.; GASPARELLO, A.V.; ALMEIDA, M.P. Determinação de perdas na colheita mecanizada do milho (Zea mays L.) utilizando diferentes regulagens de rotação do cilindro trilhador da colheitadeira. Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, Campo Grande, v.16, n.5, p. 43-55, 2012. Disponível em: <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=26030710004>. Acesso em: 22 mai. 2019.

WEBER, E.A. Excelência em beneficiamento e armazenamento de grãos. Canoas, RS: Editora Salles, 2005. 585p.

Downloads

Publicado

2020-03-31

Como Citar

Neves, E., Oliveira, B. S., & Oliveira, W. D. A. (2020). Corn grains losses in the function of different speeds of the harvesting. Scientific Electronic Archives, 13(4), 1–5. https://doi.org/10.36560/13420201023

Edição

Seção

Agricultural Science