Possibilities and limits of participation in the municipal health council in a small municipality

Autores

  • S. F. Cetolin Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc
  • K. N. Michna Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc
  • L. P. Trissoldi Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc
  • A. T. Zimmermann Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc
  • V. Beltrame Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc
  • J. A. Steffani Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc

DOI:

https://doi.org/10.36560/131220201173

Palavras-chave:

Social Control, Social Participation, Health Policy, Public Health

Resumo

This article presents results of a research carried out with the objective of analyzing the participation of Social Control in the sphere of Public Health Policy of a small municipality, located in the Extreme West of Santa Catarina. This is a qualitative study, carried out with the participation of twelve directors, six representatives of non-governmental entities and six of governmental entities. Data were collected between August and December 2019, through interviews with open and closed questions. The research was approved by the Ethics and Research Committee. All requirements contained in the Resolution of the National Health Council - CNS 466/2012 were observed and respected. The limits for the participation of members in the Council, time and lack of knowledge in the health area were found as limits, and with regard to the possibilities, a broader view of the health services offered, and within this, the prioritization of actions and actions. It is observed that Social Control is very important and necessarily needs to be maintained and strengthened. The Federal Constitution of 1988 consolidated and predicted in its devices the participation of citizens in the formulation and implementation of Social Control, public health policies. It is hoped that the result of the research can boost proposals that are configured as responses to the strengthening of participation in Social Control, recognizing the Health Councils are deliberative and permanent collegiate organs of the SUS, existing in each sphere of government and members of the basic structure of the health system.

Biografia do Autor

S. F. Cetolin, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc

Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); Mestre em Gestão de Políticas Públicas pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI); Especialista em Saúde Coletiva pela Universidade do Oeste de Santa Catarina em parceria com a Universidade Estadual de Londrina (Unoesc/Uel); Graduada em Serviço Social pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc). Graduada em Psicologia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc). Professora no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Biociências e Saúde (PPGBS) e membro do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc). 

K. N. Michna, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc

Acadêmica do Curso de Graduação em Direito da Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc. Bolsista de Pesquisa Art. 170/SC.

L. P. Trissoldi, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc

Acadêmica do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc. Bolsista de Pesquisa Art. 171/SC.

A. T. Zimmermann, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc

Acadêmica do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc. Bolsista de Pesquisa Art. 171/SC.

V. Beltrame, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc

Doutora em Gerontologia Biomédica. Professora do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde da Universidade do Oeste de Santa Catarina- Unoesc

J. A. Steffani, Universidade do Oeste de Santa Catarina - Unoesc

Doutor em Ergonomia. Professor do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde da Universidade do Oeste de Santa Catarina- Unoesc

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Constituição da república Federativa do Brasil. Brasília. Promulgada em 5 de outubro de 1988 atualizada até a Emenda Constitucional nº 57, de 18 de dezembro de 2008. São Paulo: imprensa oficial, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gestão Municipal de Saúde. Leis, normas e portarias atuais. Brasília; 2001.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. LEI nº 8.142. de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Publicado no Diário Oficial em 31 de Dezembro de 1990.

CARVALHO, GCM. Participação da comunidade na saúde. Passo Fundo: IFIBE; 2006.

COSTA, AM., and VIEIRA, NA. Participação e Controle Social em Saúde. In FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. A saúde no Brasil em 2030 - prospecção estratégica do sistema de saúde brasileiro: organização e gestão do sistema de saúde [online]. Rio de Janeiro: Fiocruz/Ipea/Ministério da Saúde/Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, 2013. Vol. 3. pp. 237-271. ISBN 978-85-8110-017-3. Available from SciELO Books. Disponível em: http://books.scielo.org.

DEMO, Pedro. Pobreza da Política. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FERREIRA, C. S. Políticas públicas de fomento ao Controle Social: estudo da relação entre participação social e falhas na gestão pública em prefeituras municipais da região nordeste. 2010. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2010.

FLEURY, S. Socialismo e democracia: o lugar do sujeito. In Fleury S, Lobato LVC (orgs.). Participação, Democracia e Saúde. Rio de Janeiro: Cebes; 2009. p. 24-46.

GODOY. Arilda Schmidt. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, mai/jun. 1995.

LEI Nº 8.080, DE 19 DE SETEMBRO DE 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, da organização e funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências (Lei Orgânica da Saúde). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1990.

MACEDO, L.C. Participação e Controle Social na área da saúde: uma revisão bibliográfica [dissertação ], Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto-USP, 2005.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gestão participativa em Saúde. Publicado: Quinta, 29 de junho de 2017, 11h05.

MOREIRA, M. R.; ESCOREL, S. Conselhos Municipais de Saúde do Brasil: um debate sobre a democratização da política de saúde nos vinte anos do SUS. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 795-805, 2009.

MORRONE, Carla; DIAS, Cora; MORELI, Lucinéia. Para entender o Controle Social na Saúde : Ministério da Saúde, Conselho nacional da Saúde. Brasília/DF, p.43, 2013.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. Um Estado para a sociedade civil: temas éticos e políticos da gestão democrática. São Paulo: Cortez, 2011.

PEREIRA, Luis Carlos Bresser. A Reforma do Estado nos anos 90: lógica e mecanismos de controle. Brasília: Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado – MARE. 1998.

PORTAL DA TRANSPARÊNCIA . Conselho Municipal da Saúde - CMS. Disponível em: https://transparencia.saomiguel.sc.gov.br/uploads/__lein2883_57892ad2ce3b1.pdf. Acesso em: 29 mar. 2020.

SÃNCHEZ, F. Orçamento Participativo: teoria e prática. São Paulo: Cortez, 2002. 119 p.

SARRETA, FO. Educação permanente em saúde para os trabalhadores do SUS [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 248 p. ISBN 978-85-7983-009-9. Available from SciELO Books. Disponível em: http://books.scielo.org.

YUNES, J. Participação Social em Saúde. In: Cadernos de texto da 8ª Conferência Nacional de Saúde. Brasília. Ministério da Saúde; 1986.

ZAMBON, Vera Dib; OGATA, Márcia Niituma. Controle Social do Sistema Único de Saúde: o que pensam os conselheiros municipais de saúde : Social control of the Single Health System: what think the municipal health counselors Control Social del Sistema Único de Salud: lo que piensan los consejeros municipales de salud. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 66, n. 6, p. 1, nov.,dez./2013.

Downloads

Publicado

2020-11-30

Como Citar

Cetolin, S. F., Michna, K. N., Trissoldi, L. P., Zimmermann, A. T., Beltrame, V., & Steffani, J. A. (2020). Possibilities and limits of participation in the municipal health council in a small municipality. Scientific Electronic Archives, 13(12), 90–98. https://doi.org/10.36560/131220201173