O cuidado de enfermagem no processo de morte morrer: um olhar sobre o ensino na região sul do Brasil

Autores

  • Mayara Caroline Galvão Santhyago Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Eleine Maestri Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Denise Consuelo Moser Aguiar Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Silvia Silvia de Souza Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Anderson Funai Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Suellen Rodrigues de Oliveira Maier Universidade Federal de Rondonópolis
  • Daniele Santana Soares Hospital Universitário Julio Muller
  • Gelson Aguiar da Silva Moser Universidade Federal da Fronteira Sul

DOI:

https://doi.org/10.36560/14320211236

Palavras-chave:

Processo de Morte e Morrer, Enfermagem, Ensino.

Resumo

Trata-se de uma pesquisa documental descritiva, de abordagem qualitativa, com o objetivo geral de descrever a inclusão do tema Processo de Morte e Morrer nos Projetos Pedagógicos de Curso e Planos de Ensino dos cursos de graduação em Enfermagem da Região Sul do Brasil. Como objetivo de descrever a inclusão do tema Processo de Morte e Morrer nos Projetos Pedagógicos dos Cursos e Planos de Ensino dos cursos de graduação em Enfermagem da Região Sul do Brasil. O estudo teve como cenário 10 instituições que disponibilizaram material via e-mail e 09 que possuem os materiais disponíveis em domínio público. A coleta de dados foi realizada por meio de pesquisa em documentos no período de agosto a setembro de 2014. Para ordenação e organização dos dados, utilizou-se a análise de conteúdo. A proposta segue os preceitos éticos da Resolução n° 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, foi avaliada e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal da Fronteira Sul. As informações, deram origem a três categorias relacionadas ao tema: Componente Curricular específico sobre o Processo de Morte e Morrer; Cuidados Paliativos e o manejo com pacientes terminais; Espiritualidade, Crenças Culturais e Religiosas sobre o PMM. Essas categorias mostram que o PMM é relacionado à religião, espiritualidade e cuidados paliativos nos CCRs. Outro fator relevante é que a abordagem da temática é escassa e utiliza metodologias de forma tecnicista e mecânica, quando o mesmo necessita de um olhar humanístico e subjetivo. Conclui-se que há necessidade de explorar essa temática que tem precária evolução. A reforma curricular é algo pontal para o avanço do PMM na formação do enfermeiro.

Referências

ALBRECHT, L. D., KRÜGER, V. Metodologia tradicional x Metodologia diferenciada: a opinião de alunos. 33º EDEQ. Universidade Regional de Unijuí. Unijuí-RS, 2013. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/edeq/article/view/2735.

BANDEIRA, D. et al. A morte e o morrer no processo de formação de enfermeiros sob a ótica de docentes de enfermagem. Texto Contexto Enferm., Florianópolis. v. 23, n. 2, p. 400-7, Abr-Jun, 2014. https://doi.org/10.1590/0104-07072014000660013.

BARROS, W. C. T. S. et al. Ensinando a vivenciar o processo de morte e morrer: um encontro entre educação e cuidado na formação de enfermeiros. 17º Seminário Nacional de Pesquisa em Enfermagem. Natal/RN, 03 a 05 de junho de 2013. Disponível em: http://www.abeneventos.com.br/anais_senpe/17senpe/pdf/0547po.pdf.

BELLATO, R. A abordagem do processo do morrer e da morte feita por docentes em um curso de graduação em enfermagem. Acta Paul Enferm. v. 20, n, 3, p. 255-63, 2007. https://doi.org/10.1590/S0103-21002007000300003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Humaniza SUS, v. 4 2011. Disponível em: http://www.redehumanizasus.net/1046-a-humanizacao-e-o-lugar-da-morte. Acesso em: 15 mai de 2014.

BRASIL. Mistério da Educação. Resolução CNE/CES Nº 3, de 7 de novembro de 2001. Diretrizes curriculares nacionais do curso de enfermagem. Conselho Nacional da Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&id=12991:diretrizes-curriculares-cursos-de-graduacao. Acesso em: 13 nov. 2014.

JÚNIOR, F. J.G.S. et al. Processo de Morte e Morrer: Evidências da Literatura Cientifica de Enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília, 2011. https://doi.org/10.1590/S0034-71672011000600020.

LIMA, M. G. R., NIETSCHE, E. A., TEIXEIRA, J. A. Reflexos da formação acadêmica na percepção do morrer e da morte por enfermeiros. Rev. Eletr. Enf., Goiânia, v. 14, n. 1, p. 181-8, Jan./Mar., 2012. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/14173.

LÜDKE, M., ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 2012.

OLIVEIRA, S. G., et al. Significados de morte e morrer no curso de enfermagem: um relato de experiência. Revista de Enfermagem da UFSM. v. 2, n. 2, p. 472-479, Mai/Ago, 2012. https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/3493.

SALES, C. A. O Processo de Morte e Morrer: Definições de acadêmicos de enfermagem. Rev Rene. Maringá, PR, 2013. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/3425.

SANTOS, J. L. BUENO, S. M. V. Educação para a morte a docentes e discentes de enfermagem: revisão documental da literatura cientifica. Revista Escola de Enfermagem USP. Ribeirão Preto, 2010. https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000100038.

SANTOS, M. A., HORMANEZ, M. Atitude frente à morte em profissionais e estudantes de enfermagem: revisão da produção científica da última década. Ciências e Saúde Coletiva USP. Ribeirão Preto, 2013. https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000900031.

SILVA, A. H., FOSSÁ, M. I. T. Análise de Conteúdo: Exemplo de Aplicação da Técnica para Análise de Dados Qualitativos. Qualit@s Revista Eletrônica. v. 17, n. 1, 2015. Disponível em: http://revista.uepb.edu.br/index.php/qualitas/article/view/2113/1403.

Downloads

Publicado

2021-02-26

Como Citar

Galvão Santhyago, M. C., Maestri, E., Moser Aguiar, D. C., de Souza, S. S., Funai, A., de Oliveira Maier, S. R., Soares, D. S., & Moser, G. A. da S. (2021). O cuidado de enfermagem no processo de morte morrer: um olhar sobre o ensino na região sul do Brasil. Scientific Electronic Archives, 14(3), 105–111. https://doi.org/10.36560/14320211236