Rede de correlações entre características de flor e de fruto do maracujazeiro-azedo

Autores

  • Maria Gabriela Formagio Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Tangará da Serra
  • Leandro Rafael Fachi Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Cuiabá
  • Eveline Maria Brezoli Dezengrini Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Tangará da Serra
  • Dhiego Pereira Krause Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Tangará da Serra
  • Thiago Neto Valerio Campos Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Tangará da Serra
  • Kecy Sena Lima Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Tangará da Serra
  • Willian Krause Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Tangará da Serra

DOI:

https://doi.org/10.36560/14520211277

Resumo

O objetivo deste trabalho foi construir redes de correlação ponderadas, a fim de descobrir estruturas de correlação e padrões de ligação entre características de flor e fruto do maracujazeiro azedo. O experimento foi conduzido na área experimental da Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, Campus Professor Eugênio Carlos Stieler, Tangará da Serra – MT. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizado com três repetições e cinco flores por parcela. Foram avaliadas 110 famílias de irmãos completo (FIC) provenientes do programa de melhoramento genético do maracujazeiro azedo da UNEMAT. Avaliaram-se os parâmetros de morfologia e morfometria floral, e características de fruto utilizando a rede de correlação de Pearson e os resultados foram submetidos ao teste “t” de Student. Os resultados da rede de correlação possibilitaram identificar com mais rapidez e facilidade o agrupamento de características e as correlações existente entre características da flor e do fruto de maracujazeiro. Também se observou que as características florais (Comprimento do nectário em relação às anteras, comprimento do nectário em relação ao estigma e comprimento do androginóforo) são os caracteres de maior correlação com características físicas dos frutos (Massa de fruto, peso de polpa e espessura de casca). As flores com estiletes totalmente curvos apresentam melhores resultados no processo de pegamento de frutos.

Referências

AIZZA, L. C. B.; DORNELAS, M. C. A role for pollinators in the “genomic tinkering” that modulates evolutionary changes in molecular networks controlling flower development. In: YAISH, M. W. (Org.). The Flowering Process and its Control in Plants: Gene Expression and Hormone Interaction. India: Research Signpost, 2011. p. 51-69.

AKAMINE, E. K. et al. Passion fruit culture in Hawaii. Hawaii, University of Hawaii, 1974. 35p. (Circular, 345).

ANDRADE NETO, R. C. et al. Caracterização física de frutos de genótipos de maracujazeiro azedo produzido no Acre. In: ENCONTRO NACIONAL DA AGROINDÚSTRIA, 7, 2015, Cruz das Almas. Anais... Bananeiras: UFPB, 2015.

BISQUERRA, R.; SARRIERA, J. C.; MARTÍNEZ, F. Introdução à estatística: enfoque informático com o pacote estatístico SPSS. Porto Alegre: Artmed, 2004.

BRUCKNER, C. H.; PICANÇO, M. C. Maracujá: tecnologia de produção, pós-colheita, agroindústria, mercado. Porto Alegre: Cinco Continentes, 2001.

BRUCKNER, et al. Autoincompatibilidade do maracujá – implicações no melhoramento genético. In: FALEIRO, F. G.; JUNQUEIRA, N. T. V.; BRAGA, M. F. (Orgs). Maracujá: germoplasma e melhoramento genético. Planaltina. Embrapa Cerrados, 2005.

CERVI, A. C. Passifloraceae do Brasil: Estudo do gênero Passiflora L., subgênero Passiflora. Fontqueria, 1997.

DALLACORT, R. et al. Distribuição das chuvas no município de Tangará da Serra, médio norte do Estado de Mato Grosso, Brasil. Acta Scientiarum -Agronomy, v. 33, n. 2, p. 1-8, 2011.

EPSKAMP, S. et al. Ggraph: network visualizations of relationships in psychometric data. Journal of Statistical Software, v. 48, n. 4, p.1 18, 2012.

ESASHIKA, D. A. S. Fenologia e morfometria de flores e frutos de espécies e híbridos de passiflora spp. visando ao melhoramento genético. 2018. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

FRUCHTERMAN, T. M.; REINGOLD, E. M. Graph drawing by force‐directed placement. Software: Practice and experience, v. 21, n. 11, p. 1129–1164, 1991.

JUNQUEIRA, N. T. V. et al. Uso de espécies silvestres de Passiflora no pré-melhoramento do maracujazeiro. In: LOPES, M. A. et al. (Orgs). Curso Internacional de pré-melhoramento de plantas. Brasília: Embrapa, 2006.

KIILL, L. H. P et al. Relationship of floral morphology and biology of yellow melon hybrids with the attractiveness of pollinators. Magistra, v. 24, (suplemento especial), p. 143-149, 2012.

KRAUSE et al. Produtividade e qualidade de frutos de cultivares de maracujazeiro amarelo com ou sem polinização artificial. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 47, n. 12, p.1737-1742. 2012.

NASCIMENTO, T. B. et al. Características físicas do maracujá-amarelo produzido em diferentes épocas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.34, n.12, p.2353-2358, 1999.

NEGREIROS, J. R. S. et al. Relação entre características físicas e o rendimento de polpa de maracujá-amarelo. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 29, n. 3, p. 546-549, 2007.

PIMENTEL, L. D. et al. Épocas de avaliação da produtividade em maracujazeiro visando à seleção precoce. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 43, n. 10, p. 1303-1309, 2008.

ROCHA, D. I. Estudo dos caracteres florais associados à ornitofilia e quiropterofilia em espécies de Passiflora (Passifloraceae). 2015. Tese (Doutorado em Biologia Vegetal) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

RUGGIERO, C. Estudos sobre floração e polinização do maracujá amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Deg.). 1973. Tese (Doutorado em Ciências) - Faculdade de Medicina Veterinária e Agronomia de Jaboticabal, Jaboticabal, 1973.

SANTOS, G. G. et al. Efeito da polinização artificial controlada no pegamento e qualidade de frutos de maracujazeiro. In: JORNADA CIENTÍFICA EMBRAPA MANDIOCA E FRUTICULTURA, 10, 2016, Cruz das Almas. Anais... Brasilia: Embrapa, 2016.

SILVA, C. I.; OLIVEIRA, P. E.; GARÓFALO, C. A. Manejo e conservação de polinizadores do maracujazeiro amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa). Petrolina: Embrapa, 2012. p. 162- 178. (Documentos, 249).

SILVA, A. R. D. et al. Correlation network analysis between phenotypic and genotypic traits of chili pepper. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 51, n. 4, p. 372-377, 2016.

SILVA, M. B. A. Caracterização morfoagronômica e fenológica de dois acessos de Passiflora foetida L. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Agronômica) – Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, 2019.

TEAM, R. C. R: A language and environment for statistical computing, 2013.

TOMÉ, A. T. et al. Morfologia floral em progênies de maracujazeiro amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 17, 2002, Belém. Anais... Belém: SBF, 2002.

VASCONCELLOS, M. A. S.; DUARTE FILHO, J. Ecofisiologia do maracujazeiro. In: LACERDA, V. (Ed.). A cultura do maracujazeiro. Belo Horizonte: Informe Agropecuário, 2000, p. 25-28.

Publicado

2021-04-30

Como Citar

Formagio, M. G., Fachi, L. R., Dezengrini, E. M. B., Krause, D. P., Campos, T. N. V., Lima, K. S., & Krause, W. (2021). Rede de correlações entre características de flor e de fruto do maracujazeiro-azedo. Scientific Electronic Archives, 14(5), 49–54. https://doi.org/10.36560/14520211277

Edição

Seção

Agricultural Science

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)