Desenvolvimento de bala dura a partir da polpa de Jatobá (Hymenaea stigonocarpa Mart)

Autores

  • Adriane Andrade Carvalho Universidade Federal de Goiás
  • Milena Silva Vieira Universidade Federal de Goiás
  • Nathama Lucas Neves Santana Universidade Federal de Goiás
  • Renata Ferreira Borges Universidade Federal de Goiás
  • Rhinery Beatriz Rocha Borges Universidade Federal de Lavras
  • Miriam Fontes Araujo Silveira Universidade Federal de Goiás
  • Adriana Régia Marques de Souza Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.36560/14620211294

Palavras-chave:

cerrado, jatobazeiro, aceitação

Resumo

O Jatobá-do-cerrado (Hymenaea stigonocarpa Mart) têm frutos com polpa de cor amarela pálida, sabor e aroma característicos, contendo altos teores de açúcar, sendo rica em carotenóides, polifenóis, vitamina C, além de apresentar quantidade significativa de fibras alimentares. A utilização do jatobá para fins econômicos pode ser potencializada por meio da metodologia estratégica de desenvolvimento de novo produto. Dessa maneira o objetivo deste trabalho foi desenvolver uma bala dura, a partir da polpa do jatobá, e avaliar a aceitação do produto por meio de teste sensorial. Os frutos do jatobazeiro foram coletados no Campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás no mês de setembro de 2017. Os ingredientes utilizados na formulação foram: açúcar cristal, xarope de glucose de milho, água, e ácido cítrico em pó. A análise sensorial foi realizada com 61 provadores não treinados, que avaliaram os parâmetros - sabor, textura, aroma e impressão global, utilizando escala hedônica de 9 pontos, na qual a nota 9 (nove) correspondia à “gostei muitíssimo” e 1 (um) à “desgostei muitíssimo”. A bala dura de jatobá foi bem aceita em relação a todos os atributos avaliados, o que pode ser reforçada com a intenção de compra, onde verificou-se que 52 % dos provadores disseram que comprariam a bala, caso a mesma estivesse a venda. De acordo com os resultados obtidos, concluiu-se que a bala de jatobá têm boa aceitação podendo ser uma boa alternativa para agregar valor ao fruto do jatobazeiro.

Referências

ABICAB - Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas. Disponível em:<http://www.abicab.org.br/paginas/balas/mercado-2019-1/>. Acesso em 06 nov. 2020.

BATISTA, C. L. L. C. Produção e avaliação da estabilidade de corante hidrossolúvel de urucum. 71 p. 1. Ed. UFLA. Brasil, 1994.

BRASIL. Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos. Resolução nº. 12 de 1978. Aprova normas técnicas especiais, do Estado de São Paulo, revistas pela CNNPA, relativas a alimentos (e bebidas), para efeito em todo território brasileiro. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, Poder Executivo, 24 jul. 1978.

BRASIL. Ministério da Saúde. Cerca de 30% dos jovens consomem doces em excesso. 2016.Disponível em <http://www.brasil.gov.br/saude/2016/04/cerca-de-30-dos-jovens-consomem-doces-em-excesso> Acesso em 10 set. 2020.

COHEN, K. D. O. Jatobá-do-cerrado: composição nutricional e beneficiamento dos frutos. Embrapa Cerrados-Documentos (INFOTECA-E), 2010.

FOEGEDING, E. A. Reologia e textura sensorial de géis biopoliméricos. Opiniãoatual em Colloid& Interface Science, v. 12, n. 4-5, p. 242-250, 2007.

GIORDANO, Samuel Ribeiro. O sistema agroindustrial dos frutos do cerrado: o agribusiness do pequeno produtor. Série Estudos Temáticos, v. 3, n. 97, p. 21, 1997.

GULARTE, M. A. et al. Manual de análise sensorial de alimentos. Pelotas (RS): Editora e Gráfica Universitária PREC–UFPel, 2009.

LAZZARI, M. Aplicação de curcuminanano encapsulada em balas duras: características sensoriais e físico-químicas. 2014. 34 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia de Alimentos) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campo Mourão, 2014.

MEILGAARD, M. C.; CIVILLE, G. V.; CARR, B. T. Sensory Evaluation Techniques. 5ª ed. New York: CRC Press, 2015.

MINIM, V. P. R. Análise Sensorial: estudos com consumidores. Viçosa: Editora UFV, 2006, 225p.

MORENO, M. T. et al. Influence of label Information on dark chocolate acceptability. Appetite, v. 58, n. 2, p. 665-671, 2012.

MOTA, G. Desenvolvimento de novos produtos: o que é e qual a sua função?. Blog WeDoLogos. 10 jul. 2017. Disponível em: <http://blog.wedologos.com.br/marketing/desenvolvimento-de-novos-produtos/>. Acesso em 20 set. 2020.

MOUSAVI, M. et al. Texture and sensory characterization of functional yogurt supplemented with flaxseed during cold storage. Food Science & Nutrition, v. 7, n. 3, p. 907-917, 2019.

POIANI, M. R.; MONTANUCI, F. D. Caracterizações físicas e tecnológicas e perfil de textura de cookies de farinha de uva e linhaça. Brazilian Journal Food Technology, v. 22, e2018074, 2019.

ROSSI, C. Ambientalistas exigem que mercado pare o desmatamento do cerrado. 2017. Disponível em: <http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Blog/ambientalistas-pedem-que-mercado-pare-o-desma/blog/60195/?gclid=Cj0KCQjwvabPBRD5ARIsAIwFXBlK_Lm1ticwhNk-zJcmmtFs0pkh6FjnwJYRxXd1ONj__Yn4frrkkyoaAuDTEALw_wcB>. Acesso em: 15 jul. 2020.

SILVA, M. R.; SILVA, M. A. A. P.; CHANG, Y. K. Utilização da farinha de jatobá (Hymenaea stigonocarpa Mart.) na elaboração de biscoitos tipo cookie e avaliação de aceitação por testes sensoriais afetivos univariados e multivariados. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 18, n. 1, p. 25-34, 1998.

SILVA, M. R.; S. Martins, K. A.; Borges, S. Utilização tecnológica dos frutos de jatobá-do-cerrado e de jatobá-da-mata na elaboração de biscoitos fontes de fibra alimentar e isentos de açúcares. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 21, n. 2 p. 176-182, 2001.

Publicado

2021-05-31

Como Citar

Carvalho, A. A., Vieira, M. S., Santana, N. L. N., Borges, R. F., Borges, R. B. R., Silveira, M. F. A., & Souza, A. R. M. de. (2021). Desenvolvimento de bala dura a partir da polpa de Jatobá (Hymenaea stigonocarpa Mart). Scientific Electronic Archives, 14(6), 22–26. https://doi.org/10.36560/14620211294

Edição

Seção

Agricultural Science