Testing the knowledge of nurses in a Community Health Foundation of the City of Sinop / MT on the treatment of wounds

Autores

  • S. M. Dill UFMT
  • A. B. Moreira
  • C. B. Venazzi

DOI:

https://doi.org/10.36560/1122018426

Palavras-chave:

wounds, nursing, knowledge, wound healing, nursing care

Resumo

The study aimed to observe the technical and scientific knowledge of nurses in a Community Health Foundation of Sinop / MT, related to wound care. For it belongs to the nurse assessment and differential with the development and implementation of a plan of care, evaluation and reevaluation of treatment used for each patient diagnosis. Check autonomy and the scientific expertise of the nurse related to the procedure in curative practices; Assess the knowledge of nurses regarding the guidance given their nursing staff on the implementation of curative and delegation practices. It is a field research with an applied nature, quantitative and qualitative approach with exploratory and descriptive characteristic. Data collection was conducted through a questionnaire consisting of 28 objective and subjective questions. The selection criterion was the 21 nurses working in the following clinics: Medical, Surgical Clinic, Maternity Clinic, Pediatrics, Adult ICU, Private Practice Private Practice I and II. Inclusion criteria are: nurses who work in the area of health care that perform related care and wound care practices. Were excluded from the research nurse who does not exercise direct activities of health care nurses respectively of CCIH and CME. The sample was characterized for female nurses, with over two years of training, more time in the job (50%) has <1-1 year. As for the update on injuries (80.96%) of nurses said update themselves by research sources with: congress, lectures articles, magazines and newspapers. Over (50%) of nurses claim to always seek professional medical information with another nurse. Questioned whether it is in the institution's protocol wounds and if it is used (47.61%) claimed to have the protocol, it is noteworthy that there is an institutional protocol on wounds. As the autonomy of the professional nurse in treatment decision occurred, 11 (52.38%) stated that it is always the doctor who prescribes the conduct of wound demonstrating the lack of autonomy of nurses. Regarding the guidance given to the nursing technician (66.66%) of nurses performing the correct orientation. Regarding the evaluation of 13 patients (72.22%) of nurses did not address the most relevant aspects of patient assessment. As for wound assessment 9 (42.85%) reported having difficulties in assessing the wound. Regarding the aspect of the wound 11 (52.38%) did not describe correctly the aspects of wound and consider signs of wound infection and required for the dressing materials. When questioned whether the same make culture wounds 14 (66.70%) said yes, but when asked by what method we obtain 8 sample (57.14%) respondents did not know the method. Taking into account the practice of dressing 8 (38.10%) reported that PVP is the most suitable agent for cleaning and the same is contraindicated.   Related to pressure ulcers 21 nurses said how to recognize the four grades, however 7 (33.33%) reported massage in regions of bone prominences and 13 (61.90%) of respondents said they use gloves water as relief pressure, this erroneous practice.   In other matters it was found that the nurses were cleaning assertive in using SF 0.9%, but the covers were shown difficulties in choice. It is concluded that there is need to empower nurses of the institution in the matters related to patient assessment, wound and types of coverage available, providing subsidies so that this helped to better behavior.

Referências

ANVISA. Critérios diagnósticos de infecção relacionada à assistência à saúde. 1ª edição – 2013.

ANVISA; Módulo 4: Procedimentos Laboratoriais: da requisição do exame à análise microbiológica e laudo final. Manual de microbiologia clínica para o controle de infecção relacionada à assistência à saúde. 1º edição, Brasília – DF, 2010.

BALAN, M. Guia terapêutico para tratamento de feridas. 1° Ed. Editora Difusão. São Caetano do Sul, São Paulo, 2006.

BENBOW, M. Ageing&woundhealing. Journal of community nursing. Vol. 24, Issue 5; September 2010.

BENBOW, M. Back to basics - skin and wounds. Journal of community nursing. Vol. 21, Issue 5; May 2007.

BENBOW, M. Debridement and the removal of devitalised tissue. Journal of community nursing. Volume 22, Issue 12. Dezembro 2008.

BENBOW, M. Debridement: wound bed preparation. Journal of community nursing. Volume 25, Issue3.Maio 2011.

BENBOW, M. Diagnosing and assessing wounds. Journal of community nursing. Vol. 21, Issue 8; August 2007.

BENBOW, M. Ethics and wound management. Journal of community nursing. 2006; vol.20 (3):24-8.

BENBOW, M. Exuding wounds. Journal of community nursing.Vol. 22, Issue 11, November 2008.

BENBOW, M. Healing and wound classification. Journal of community nursing. Vol. 21, Issue 9; September 2007.

BOMFIM, C. B. Capacitação profissional e sua articulação com a prática de enfermeiros. 2010. 70 f. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal da Bahia Escola de Enfermagem. Salvador 2010.

BRASIL. Caderno de enfermagem em ortopedia. Ministério da saúde secretaria de assistência à saúde instituto nacional de tráumato-ortopedia. Brasília, 2006.

BRASIL. Cartilha para tratamento de emergência das queimaduras / ministério da saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada. Brasília: Ed. do Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL; Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Políticas de Saúde, Departamento de Atenção Básica. Manual de condutas para úlceras neurotróficas e traumáticas. Brasília: MS; 2002.

CALIRI, M. Recomendações para prevenção de úlceras de pressão em adultos.Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2014.

COFEN;RESOLUÇÃO COFEN-358/2009; Brasília-DF, 15 de outubro de 2009. Disponível em: <http://novo.portalcofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html>. Acesso em: 2 ago. 2013.

COREN-DF.N° 007/2008 - Tratamento de Feridas. Brasília, 02 de outubro de 2008. Disponívelem:<http://www.corendf.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=510:parecer-coren-df-nd-0122008&catid=38:pareceres&Itemid=73>. Acesso em: 2 ago. 2013.

CORRÊA et al. Perfil sociodemográfico e profissional dos enfermeiros da atenção básica à saúde de Cuiabá - Mato Grosso. Revista eletrônica de enfermagem. 2012 jan/mar;14(1):171-80.

COSTA et al., feridas hospitalares ii. Diretrizes clínicas protocolos clínicos feridas. FUNDAÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, 2013.

DEALEY, C. Cuidados de feridas: um guia para enfermeiras. 2° Ed. São Paulo: Atheneu, 2001.

FERREIRA et al. O enfermeiro e o tratamento de feridas: em busca da autonomia do cuidado. ArqCiênc Saúde 2008 jul-set;15(3):105-9.

FERREIRAet al. O cuidado de pacientes com feridas e a construção da autonomia do enfermeiro. Revista de enfermagem. UERJ, Rio de Janeiro, 2010 out/dez; 18(4):656-60.

FUNDAÇÃO DE SAÚDE COMUNITÃRIA DE SINOP - Hospital Santo Antônio. História. Sinop/MT, 2013. Disponível em: <http://hsasinop.org.br/historia/>. Acesso em: 2 jun. 2013.

GERHARDT, Engel Tatiana e SILVEIRA, Tolfo Denise. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1º edição, 2009.

GIL. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª. Ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES et al. Manual de curativos. Comissão de controle de infecção hospitalar, serviço de controle de infecção hospitalar. 3º Revisão; Agosto 2005

HESS. Tratamento de feridas e úlceras. 4º edição 2002 editora: Reichmann& Affonso.

Hospital Universitário de Santa Maria. Protocolo assistêncial de prevençãoe tratamento de úlcera por pressão. 2011.

ISAAC et al., Processo de cura das feridas: cicatrização fisiológica. Revista de medicina (São Paulo). 2010 jul.-dez.;89(3/4):125-31.

JOYE LAW FIRM. Burn injury classification. South Carolina Personal Injury Lawyers.Disponível em: <http://www.joyelawfirm.com/practice-areas/burn-injury/burn-injury-classification/#axzz2wSScCLQY>. Acesso em: 5 mai. 2014.

KAMAMOTO. Contração de feridas revisão bibliográfica e estudo da contração gerada por fibroblastos normais e de quelóides. 2007. 117 f. Dissertação Mestrado. Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2007.

KAUARK et al.. Metodologia da pesquisa: um guia prático. Itabuna/Bahia, 2010.

KOBAYASHI; LEITE. Desenvolvendo competências profissionais dos enfermeiros em serviço. Revista brasileira de enfermagem. Vol. 63 no.2 Brasília Mar./Apr. 2010.

LINO, L. Dependência funcional e auto-estima na pessoa com ferida crónica. 2013. 122 f. Dissertação Mestrado. Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Católica Portuguesa, Lisboa. 2013.

LISE e SILVA;.Prevenção de úlcera por pressão: instrumentalizando a enfermagem e orientando o familiar cuidador. Acta sci. Health sci. Maringá, v. 29, n. 2, p. 85-89, 2007.

MACHADO et al. Construindo o perfil da enfermagem*. Enfermagem em foco. 2012; 3(3): 119-122 1.

MANDELBAUM et al. Cicatrização: conceitos atuais e recursos auxiliares - Parte II. Anais brasileiros de dermatologia. vol.78 no.5 Rio de Janeiro Sept./Oct. 2003.

MARTINS; SOARES. Conhecimento sobre prevenção e tratamento de úlceras de pressão entre trabalhadores de enfermagem em um hospital de minas gerais. Cogitare enferm. 2008; Jan/Mar; 13(1):83-7.

Matsuda, et al., ANOTAÇÕES/REGISTROS DE ENFERMAGEM: INSTRUMENTO DE COMUNICAÇÃO PARA A QUALIDADE DO CUIDADO?. Revista eletrônica de enfermagem, v. 08, n. 03, p. 415 - 421, 2006.

MINAYO. PESQUISA SOCIAL: teoria, método e criatividade; 23.ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

MINISTÉRIO DA SAÚDE/ANVISA. Protocolo para prevenção de úlcera por pressão*. Ministério da Saúde/ Anvisa/ Fiocruz, 2013.

MORAISet al.,avaliação de feridas pelos enfermeiros de instituições hospitalares da rede pública. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2008 Jan-Mar; 17(1): 98-105.

MORTON. Cuidados críticos de enfermagem - uma abordagem holística. Rio de Janeiro. Editora: Guanabara Koogan, 9º Ed., 2011.

NONINO, et al. Avaliação da qualidade do procedimento curativo em pacientes internadosem um hospital universitário. Revista latino-am enfermagem. Janeiro-fevereiro ,2008; 16(1).

NPUAP/EPUAP.European Pressure Ulcer Advisory Panel and National Pressure Ulcer Advisory Panel. Prevention and treatment of pressure ulcers: quick reference guide. Washington DC: National Pressure Ulcer Advisory Panel; 2009.

PUCHER e DANIEL.The effects of chlorhexidine digluconate on human fibroblasts in vitro.j periodontol. Chicago, 1992 Jun;63(6):526-32.

PUDNER, R. Measuring wounds. Journal of community nursing. Vol.16, Issue 9; September; 2002.

PUDNER, R. Wound bed preparation. Journal of community nursing. Vol.16, Issue 5; May; 2002.

RAGONHAet al. Avaliação microbiológica de coberturas com sulfadiazina de prata a 1%, utilizadas em queimaduras. Rev latino-am enfermagem. 2005 julho-agosto; 13(4):514-21.

RIBEIRO, A. Tratamento de feridas. Curso de Coleção Enfermagem. Editora AB, Goiânia, 2004

SANTOS et al. Sistema de classificação de pacientes: proposta de complementação do instrumento de Fugulin et al. Revista latino-americana de enfermagem. vol.15 no.5 Ribeirão Preto Sept./Oct. 2007.

SCHMIDT et al. Desenvolvimento de um colchão pneumático controlado para prevenção de úlceras por pressão. Vii encontro latino americano de pós-graduação– Universidade do Vale do Paraíba, 2007.

SMS/SP. Programa de prevenção e tratamento de úlceras crônicas e do pé diabético. Secretária Municipal de Saúde de São Paulo: SMS, 2009.

SOBEST. Competências do Enfermeiro Estomaterapeuta (ET) ou do Enfermeiro Pós-graduado em Estomaterapia (PGET). Revista estima - vol 6 (1) 2008 p. 33 – 43.

SOBRIANO; PÉREZ; Nutrição e Feridas Crônicas. Série de Documentos Técnicos GNEAUPP n° 12. Grupo nacional para el estudio y asesoramiento em úlceras por presión y heridas crónicas. Logroño, 2011.

TANZIMA, M. et al. Biologia da ferida e cicatrização. Medicina (Ribeirão Preto) 2008; 41 (3): 259-64.

TEIXEIRA. A análise de dados na pesquisa científica importância e desafios em estudos organizacionais. EditoraUnijuí - ano 1 • n. 2.jul./dez. 2003.

TEIXEIRA et al. Análise dos dados em pesquisa qualitativa: um olhar para a proposta de morse e field. Rev. Rene. Fortaleza, v. 9, n. 3, p. 125-134, jul./set.2008.

The Royal Children's Hospital Melbourne (Clinical Guidelines Nursing). Wound care. Austrália julho de 2013.

Downloads

Publicado

2018-04-04

Como Citar

Dill, S. M., Moreira, A. B., & Venazzi, C. B. (2018). Testing the knowledge of nurses in a Community Health Foundation of the City of Sinop / MT on the treatment of wounds. Scientific Electronic Archives, 11(2), 84–110. https://doi.org/10.36560/1122018426

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)