Quality of life assessment of pregnant women living with HIV/AIDS

Autores

  • K. V. Pereira
  • P. P. Cavalcanti universidade federal do mato grosso

DOI:

https://doi.org/10.36560/1132018501

Palavras-chave:

Pregnant women, Quality of life, HIV

Resumo

HIV-positive pregnant women ought to be monitored to cover different needs of the pregnancy-puerperium cycle, counting with a conjoint act of a multiprofessional team. This time period is characterized not only by the challenge of facing a chronic disease like AIDS, but specially by the fear and guilt towards the possibility of transmitting the virus to the baby. Thinking about the importance of this content, the objective was to assess the quality of life of pregnant women infected by HIV and to describe the sociodemographic aspects of pregnant women infected by HIV. This is a descriptive study with a quantitative approach that was performed with pregnant women women who live with HIV and receive treatment at the STI, HIV/AIDS and Viral Hepatitis Specialized Care Service of Sinop, MT, in the time period from december 2016 to february 2017, data gathering was carried through an individual interview in a private room, where there were only the researcher and the pregnant woman. A characterization of the sociodemographic variables was done and to assess the quality of life of people with HIV/AIDS was applied the Targeted Quality of Life (HAT-QoL) in which the following areas were analysed: general activities, sexual activities, concern about confidentiality, concern about health, financial concerns, HIV awareness, life satisfaction, questions about medication and confidence in the professional. The data was organized in an Excel worksheet and the following measures were calculated: average, median, minimum value, maximum value and standard deviation. The highest scores were in the areas of HIV acceptance, life satisfaction and professional confidence showing contentment in these aspects.The areas that showed the lower scores were about confidentiality, concerns about the medication and financial concerns.It's been concluded that the quality of life of these HIV-positive pregnant women was affected, mainly by the characteristics of the social aspects and by their own perception of the diagnosis or the clinical circumstances due to the HIV/AIDS infection. These results confirm the need of a complete approach towards the health of these women that can help and offer them the support they need to deal with the condition that interfere with the cultural and psychological factors.

Referências

AFFELDT, Â. B.; SILVEIRA, M. F.; BARCELOS, R. S. Perfil de pessoas idosas vivendo com HIV/aids em Pelotas, sul do Brasil, 1998 a 2013. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v.24, n.1, p. 79-86, jan-mar. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S223796222015000100079&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

BARROS V. L, ARAÚJO M. A. L, ALCÂNTARA M. N. A, GUANABARA M. A. O, MELO S. P, GUEDES S. S. S. Fatores que interferem na adesão de gestantes com HIV/AIDS à terapia antirretroviral. Revista Brasileira de Promoção em Saúde. V. 24, n. 4, p. 396-403. 2011.

BRASIL, Ministério da Saúde. Programa Nacional de DST e AIDS. Boletim epidemiológico AIDS. Brasília-DF, Ano III, nº 1, Jan a Jun/ 2006 a. p. 3-5. Disponível em: http://www.aids.gov.br/sites/default/files/Boletim2007_internet090108.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais [Internet]. AIDS no Brasil. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2012 [citado 2015 Abr 7]. Disponível em: http://www. aids.gov.br/pagina/aids-no-brasil.

Brazelton, B.; Cramer, B. G. As primeiras relações. São Paulo: Martins Fontes. 1992.

CARNEIRO, P S. Avaliação da qualidade de vida de pacientes com HIV e AIDS atendidos no centro de referência e promoção da saúde de Conselheiro Lafaiete – MG. 2012. 197. Dissertação de mestrado – programa de Pós-graduação da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, 2012.

CARVALHO F T; et al. Fatores de proteção relacionados à promoção de resiliência em pessoas que vivem com HIV/AIDS. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, V. 23, p. 2023 – 2033, set. 2007.

CECHIM, P.L.; SELLI, L. Mulheres com HIV/AIDS: fragmentos de sua face oculta. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 60, n. 2, p. 145-149, 2007.

FIGUEIREDO R. M, SINKOC V. M, TOMAZIN C. C, GALLANI M. C. B. J, COLOMBRINI M. R. C. Adesão de pacientes com AIDS ao tratamento com antirretrovirais: dificuldades relatadas e proposição de medidas atenuantes em um hospital escola. Rev. Latino- Americana Enfermagem. V. 9, n. 4, p. 50 – 55. 2001.

GALVÃO M. T. G, CERQUEIRA A. T. A. R, MACHADO J. M. Evaluation of quality of life among women with HIV/AIDS using HAT – QOL. Caderno Saúde Pública. V. 20, n. 2, p. 430-437. 2004.

GERHARDT, TATIANA ENGEL E SILVEIRA, DENISE TOLFO; Métodos de pesquisa Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIR E, VAISCHULONIS C. G, OLIVEIRA M. D. Adesão à terapêutica antirretroviral por indivíduos com HIV/aids assistidos em uma instituição do interior paulista. Rev. Latino- Americana Enfermagem. V. 15, n. 5, p. 634-641. 2005.

GUIMARÃES M. S, RAXARCH J. C. A questão da adesão: os desafios impostos pela aids no Brasil e as respostas do governo, de pessoas e da sociedade. Rev Impulso. V. 32, p. 69 – 89. 2002.

HERRERA, C. et al.; Relación entre médicos y pacientes con VIH: influencia en apego terapêutico y calidad de vida. Revista de Saúde Pública, V. 42, p. 249 – 255, out. 2008.

HOLMES, J. A., SHEA, J. A. Performance on a new, HIV/AIDS-targeted quality of life (HAT-QOL) instrument in asymptomatic seropositive individuals. Qual. Life Res., v. 6, p.561-571, 1997.

JAIME P. C., FLORINDO A. A., LATORRE M. R. D. O., BRASIL B. G., SANTOS E. C. M., SEGURADO A. A. C.; Prevalência de sobrepeso e obesidade abdominal em indivíduos portadores de HIV/Aids, em uso de terapia antirretroviral de alta potência. Revista Brasileira de Epidemiologia.; V. 7, n. 1, p. 65-72. 2004.

LINDSEY PC, AMED AM. Acompanhamento da mulher HIV positivo no ciclo gravídico puerperal. In: Bortoletti FF, Moron AF, Bortoletti Filho J, Nakamura UM, Santana RM, Mattar R. Psicologia na prática obstétrica: abordagem interdisciplinar. Barueri: Manole. p. 289-90; 2007.

LOPES M. V. O., FRAGA M. N. O. Pessoas vivendo com HIV: Estresse e suas formas de enfrentamento. Revista Latino americana de Enfermagem, v.6, n.4, p.75-81, 1998.

MAKSUD, I. Soropositividade, conjugalidade e projetos reprodutivos. In: Congresso Brasileiro de Saúde coletiva, VII., 2003, Brasília. Anais. Brasília: ABRASCO, p. 621, 2003.

MATHIAS A E R A. Qualidade de vida de mulheres com infecção pelo HIV. 2010. 90. Dissertação de mestrado – Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

MELCHIOR, R., NEMES, M. I. B., ALENCAR, T. M. D., & BUCHALLA, C. M. Desafios da adesão ao tratamento de pessoas vivendo com HIV/Aids no Brasil. Revista de Saúde Pública, v.41, p. 87-93. 2007.

MOURA. E. L.; PRAÇA. N. S. Transmissão vertical do HIV: expectativas e ações da gestante soropositiva. Revista Latino americana de Enfermagem. V. 14, n. 03, 2006.

Negra, M. D. (2006). AIDS pediátrica: Aspectos clínicos. Em S. M. M. Padoin, C. C. Paula, D. Schaurich & V. A. Fontoura (Orgs.). Experiências interdisciplinares em AIDS: interfaces de uma epidemia. Santa Maria: Editora UFSM. p. 139-160, 2006.

O que é o estigma ao HIV? Revista Aids Committee of Toronto. Março. 2011.

PAIVA, V., LEME, B., NIGRO, R., & CARACIOLO, J. M. M. (2000). Lidando com a Adesão - A experiência de profissionais e ativistas na cidade de São Paulo. In P. R. Teixeira, V. Paiva, & E. Shimma (Orgs.), Tá difícil de engolir? Experiências de adesão ao tratamento anti-retroviral em São Paulo. São Paulo, SP: Núcleo de Estudos para a Prevenção da AIDS, Universidade de São Paulo. P. 27-78. 2000.

PEREIRA L. B., ALBUQUERQUE J. R., SANTOS J. M., LIMA F. L. A., SALDANHA A. W. Fatores sociodemográficos e clínicos associados à TARV e à contagem de T-CD4. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v. 16, n. 2, p. 149-160. 2012.

PICCININI, C. A., GOMES, A. G., MOREIRA, L. E. & LOPES, R. S. Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 20, n. 3, p. 223-232. 2004.

PLUCIENNIK, A. M. A. Prevenção da transmissão materno-infantil do HIV: é mais caro identificar do que tratar a gestante soropositiva. Revista Associação Médica Brasileira, v. 49, n. 1, p. 12-12. 2003.

REIS R. K. Qualidade de vida de portadores do HIV/AIDS: Influência dos fatores demográficos, clínicos e psicossociais. 2008. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto (SP), 2008.

RUIZ-PÉREZ I, OLRY DE LABRY-LIMA A, LÓPEZ-RUZ MA, DEL ARCO-JIMÉNEZ A, RODRÃGUEZ-BAÑO J, CAUSSE-PRADOS M, et al.; Clinical status, adherence to haart and quality of life in hiv-infected patients receiving antiretroviral treatment. Enferm Infecc Microbiol Clin.23(10):581-5; 2005.

SALDANHA A. A. W. Vulnerabilidade e construções de enfrentamento da soropositividade ao HIV por mulheres infectadas em relacionamento estável. 2003. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto (SP), 2003.

SANTOS N JS. et al.; Mulheres HIV positivas, reprodução e sexualidade. Revista de Saúde Pública, São Paulo, V. 36, p. 12 – 23, Mar. 2002.

SANTOS R. C. S., SOUZA M. J. A. HIV na gestação. Estação Científica (UNIFAP), Macapá, v. 2, n. 2, p. 11-24, jul/dez, 2012.

SANTOS, S. P. C., CABRAL, A. L. & BATISTA, M. F. P. (2005). Gestante HIV positiva: evento sentinela. Em Brasil, Boletim Epidemiológico Aids DST. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Programa Nacional de DST e AIDS. p. 10-13. 2005.

SILVA J, SALDANHA AAW, AZEVEDO RLW. Variáveis de Impacto na Qualidade de Vida de Pessoas Acima de 50 Anos HIV+. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 23, n. 1, p. 56-63, 2010.

SILVEIRA M. P. T, SILVEIRA M. F, MULLER C. H. Quality of life of pregnant women living with HIV/AIDS. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Rio de Janeiro, V. 38, p.246-252, Maio. 2016.

SZEJER, M. Uma abordagem psicanalítica da gravidez e do nascimento. Em L. Corrêa Filho, M. E. G. Corrêa & P. S. França (Orgs.) Novos olhares sobre a gestação e a criança até os três anos. Saúde perinatal, educação e desenvolvimento do bebê. Brasília: LGE. p. 299-323, 2002.

TIRADO M C A. et al.; Qualidade de vida de gestantes infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Revista Brasileira de Obstetrícia e Ginecologia. Rio de Janeiro, p. 228-232, Abr. 2014.

TORRES, R. S.; LUZ, A. M. H. Gestante HIV+ e crianças expostas: estudo epidemiológico da notificação compulsória. Revista Gaúcha de Enfermagem. V. 28, n. 04, 2007.

World Health Organization. (2003). Adherence to long-term therapies evidence for action. Retrieved October 13, 2011,from http://www.who.int/chronic_conditions/en/adherence_report.pdf.

Downloads

Publicado

2018-06-04

Como Citar

Pereira, K. V., & Cavalcanti, P. P. (2018). Quality of life assessment of pregnant women living with HIV/AIDS. Scientific Electronic Archives, 11(3), 76–86. https://doi.org/10.36560/1132018501

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 > >>