Nursing care in family planning: perceptions of professionals and couples attended

Autores

  • A. A. S. Jorge Universidade Federal de Mato Grosso
  • C. M. Lunardi Universidade Federal de Mato Grosso
  • B. L. M. Santos Universidade Federal de Mato Grosso
  • S. M. M. Monteiro Hospital e Pronto Socorro Milton Pessoa Morbeck
  • P. P. Cavalcanti Universidade Federal de Mato Grosso
  • R. S. Brito Universidade Federal de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.36560/1132018512

Palavras-chave:

Nursing, Assistance, Family Planning

Resumo

A descriptive exploratory qualitative approach, developed at the Family Health Strategy of the municipality Sinop-MT. This study aimed to describe the nursing care provided in family planning on the perception of nurses and the couples met. Data collection occurred in 2013, with 13 nurses and 6 couples (12 people), through semi-structured interviews taped, transcribed and categorized by thematic analysis, resulting in the following categories: “Science nurses about family planningâ€; “Nursing care in family planning provided by nurseâ€; “Knowledge and attitudes of couples concerning contraception and pregnancy planningâ€; “Impressions on the approach the nurse about family planning†and “What perfect in nursing care in family planning?†It is concluded that care does not address fully contraception and conception, fact that influences the knowledge and attitudes of couples, should be investigated which strategies are appropriate to motivate nurses.

Biografia do Autor

A. A. S. Jorge, Universidade Federal de Mato Grosso

Graduanda em enfermagem. Universidade Federal de Mato Grosso. Sinop, MT, Brasil.

C. M. Lunardi, Universidade Federal de Mato Grosso

Graduanda em enfermagem. Universidade Federal de Mato Grosso. Sinop, MT, Brasil.

B. L. M. Santos, Universidade Federal de Mato Grosso

Graduando em enfermagem. Professor, curso de enfermagem. Universidade Federal de Mato Grosso. Barra do Garças, MT, Brasil.

S. M. M. Monteiro, Hospital e Pronto Socorro Milton Pessoa Morbeck

Enfermeira. Especialista em Enfermagem Nefrologica e Enfermagem do Trabalho. Responsável Técnica no Hospital e Pronto Socorro Milton Pessoa Morbeck, Barra do garças - MT, Brasil.

P. P. Cavalcanti, Universidade Federal de Mato Grosso

Enfermeira, Doutora em Farmacologia. Professora Adjunta II, Universidade Federal do Mato Grosso, Curso de Enfermagem. Sinop, MT, Brasil.

R. S. Brito, Universidade Federal de Mato Grosso

Enfermeira, Mestra em Atenção à saúde, Especialista em Saúde Coletiva. Professora, Universidade Federal de Mato Grosso, Curso de Enfermagem. Barra do Garças, MT, Brasil. 

Referências

ANGEL, M. I. L.; MARIN, G. M.; LEZCANO, M. L. O. Characteristics of users of the Birth Control program. 2007 National Health Survey, Colombia. Invest. educ. enferm, Medellín, v. 31, n. 1, p. 20-25, Mar. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0120-53072013000100003&lng =en&nrm=iso>. Acessado em : 14 Nov. 2016.

AMARAL, L. R.; OLIVEIRA, M. A. D.; CARDOSO, R. B.; ÃVILA, S. P. A. R.; CARDOSO, B. L. C. Atuação do enfermeiro como educador no programa saúde da família: importância para uma abordagem integral na atenção primária. Rev. FG Ciência, Guanambi, v. 1, n. 1, p. 01-21, 2011. Disponível em: <http://www.portalfg.com.br/revista/artigo_2.htm>. Acesso em: 12 dez. 2012.

ANDRADE, E. C.; SILVAII, L. R. Planejamento familiar: uma questão de escolha. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 1, n. 11, p. 85-93, 2009. Disponível em: <https://www.fen.ufg.br/revista/v11/n1/v11n1a11.ht m>. Acesso em: 15 Abr. 2013.

AYGIN, D.; FIDAN, F. Evaluation of knowledge, attitude and behavior of Turkish university students regarding family planning. Rev. Eletr. Enf. v. 14, n. 3, p. 464-672, 2012 Disponível em: <http://www.revistas. ufg.br/index.php/fen/article/view/10944/13368>. Acesso em: 08 Ago. 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Brasília, 2010. Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_a b/abcad26.pdf >. Acesso em: 15 abr. 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Centro de Documentação e Informação. Lei n. 9.263, de 12 de janeiro de 1996. Brasília: Câmara dos Deputados, 1996.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Ministério da Saúde. Resolução nº 196, de 10 de outubro de 1996. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 1996.

DIÓGENES, M. A.; LINARD, A. G.; TEIXEIRA, C. A. B. Comunicação, acolhimento e educação em saúde na consulta de enfermagem em ginecologia. Rev. Rene, v. 11, n. 4, p. 38-46, 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 Jan. 2013.

DOURADO, V. G.; PELLOSO, S. M. Gravidez de alto risco: o desejo e a programação de uma gestação. Acta Paul. Enferm., vol. 20, n. 1, p. 69-74, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010 321002007000100012&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 06 Ago. 2013.

HAYASHI, I. A. M.; NOGUEIRA, V. O. Escolha dos métodos contraceptivos de um grupo de planejamento familiar em uma UBS de Guarulhos. Saúde Coletiva, vol. 4, n. 16, p. 120-123, 2007. Disponível em: . Acesso em: 22 Maio 2013.

HEILBORN, M. L.; PORTELLA, A. P.; BRANDÃO, E. R.; CABRAL, C.S. Assistência em contracepção e planejamento reprodutivo na perspectiva de usuárias de três unidades do Sistema Único de Saúde no Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, vol. 25, n. 2, p. 269-278, 2009. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/csp/v25s2/09.pdf>. Acesso em: 13 Jun. 2013.

NICOLAU, A. I. O.; DANTAS, R. C.; GADELHA, A. P. P.; PINHEIRO, A. K B. Conhecimento, atitude e prática de mulheres residentes no meio rural acerca dos métodos contraceptivos. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 14, n. 1, p. 164-70, 2012. Disponível em: <http://www.fen.ufg.br/fen_revista/v14/n1/pdf/v14n1a19.pdf >. Acesso em: 20 Dez. 2012.

MANDÚ, E. N. T.; ANTIQUEIRA, V. M. A.; LANZA, R. A. C. Mortalidade materna: implicações para o programa saúde da família. Rev. Enferm. UERJ (Rio de Janeiro) vol. 17, n. 2, p. 278-284, 2009. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2013.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12 ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

MATOS, I. B.; TOASSI, R. F. C.; MARIA, C. O. Profissões e ocupações de saúde e o processo de feminização: Tendências e implicações. Rev. Athenea Digital, vol. 13, n. 2, p. 239-244, 2013. Disponível em: <http://atheneadigital.net/article/download/Matos/pdf>. Acesso em: 08 Ago. 2013.

MOURA, E. R. F.; SILVA, R. M.; GALVÃO, M. T. G. Dinâmica do atendimento em planejamento familiar no Programa Saúde da Família no Brasil. Cad. Saúde Pública, Vol.23, n.4, p. 961-970, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csp/v23n4/22.pdf>. Acesso em: 17 abr. 2012.

NAGAHAMA, E. E. I. Avaliação da implantação de serviços de saúde reprodutiva no Município de Maringá, Paraná, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 25, supl. 2, p. 279-290, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001400010&l ng=en&nrm=iso>. Acesso em: 25 Jul. 2013.

PAZ, E. C. M.; DITTERICH, R. G. O conhecimento das mulheres sobre os métodos contraceptivos no planejamento familiar. Revista Gestão & Saúde, vol. 1, n. 1, p. 1-10, 2009. Disponível em: <http://www.herr ero.com.br/revista/Edicao%201%20Artigo%204.pdf>. Acesso em: 14 Maio 2013.

PENAFORTE, M. C. L. F.; SILVA, L. R.; ESTEVES, A. P. V. S.; SILVA, R. F.; SANTOS, I. M. M.; SILVA, M. D.B. Conhecimento, uso e escolha dos métodos contraceptivos por um grupo de mulheres de uma Unidade Básica de Saúde em Teresópolis, RJ. Cogitare Enfermagem, v. 15, n. 1, 2010. Disponível em: <http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/cogitare/article/view/17183/11318>. Acesso em: 21 abr. 2013.

PIERRE, L. A. S.; CLAPIS, M. J. Planejamento familiar em Unidade de Saúde da Família. Rev. Latino-Am. Enferm. v. 18, n. 6, p. 1161-1168, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v18n6/pt_17.pdf>. Acesso em: 13 Jul. 2013.

RASELEKOANE, N., MORWE, K., TSHITANGANO, T. University of Venda’s male students’ attitudes towards contraception and family planning. African Journal of Primary Health Care & Family Medicine, 8, jul. 2016. Disponível em: <http://www.phcfm.org/index.php/phcfm/article/view/959>. Acessado em: 13 Nov. 2016.

RIBEIRO, P. J.; REIS, R. A.; BARROS, K. H. S.; CAMPINAS, L. L. S. L. Planejamento familiar: importância do conhecimento das características da clientela para implementação de ações de saúde. Mundo saúde (Impr.), v. 32, n. 4, p. 412-419, 2008. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2013.

SANTOS, J. C.; FREITAS, P. M. Planejamento familiar na perspectiva do Desenvolvimento. Rev. Ciência & Saúde Coletiva, vol. 16, n. 3, p. 1813-1820, 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci _arttext&pid=S14138123201100030001>. Acesso em: 17 abr. 2013.

SÃO PAULO. Secretaria da Saúde. Coordenadoria de Planejamento em Saúde. Assessoria Técnica em Saúde da Mulher. Atenção à gestante e à puérpera no SUS/SP: Manual técnico do pré-natal e puerpério. São Paulo, 2010.

SINOP. Secretaria Municipal de Saúde. Dados da Estratégia de Saúde da Família. Sinop, 2012.

Downloads

Publicado

2018-06-04

Como Citar

Jorge, A. A. S., Lunardi, C. M., Santos, B. L. M., Monteiro, S. M. M., Cavalcanti, P. P., & Brito, R. S. (2018). Nursing care in family planning: perceptions of professionals and couples attended. Scientific Electronic Archives, 11(3), 106–114. https://doi.org/10.36560/1132018512

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>