Epidemiological profile of pregnant women in primary health care

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36560/1162018592

Palavras-chave:

Pepidemiological profile, pregnancy, prenatal

Resumo

This study aimed to verify the epidemiological profile of pregnant women attending in the Jardim Botânico Basic Health Unit (UBS)  in the municipality of Sinop, Mato Grosso, which had estimated date of delivery until January 2017. The epidemiological profile allowed the establishment of relevant information to identify possible gestational problems, list social conditions that could negatively influence the pregnancy, identify possible gestational risk factors and the main complaints of this population. The research is descriptive, with quantitative approach. Twenty women with 18 or more years of age treated at UBS Jardim Botânico were included in the study, regardless of the obstetric histories, who were enrolled in SISPRÉ-NATAL and who agreed to participate in the study. The data collection was done through a semi-structured questionnaire with closed-ended and open-ended questions, and performed individually or with the presence of the life partner, during pre-scheduled interviews that were carried out in the health unit or in a place indicated by the pregnant woman. The quantitative data obtained during the study were analyzed, structured in spreadsheets and graphs through the programs Microsoft Office Excel and Word 2010. To begin the collecting data, authorization was requested to the Ethics Committee of the HUJM, being approved under assessment number 1.868.048, according to Resolution 466/2012 of the National Health Council. Participants signed the Informed Consent Form, ensuring anonymity, confidentiality of the data collected, right to back off without any loss and authorization of data access for the researcher. The study shows that the main complaints among pregnant women were nausea, anxiety, lower belly pain, headache not associated with high blood pressure, constipation and heartburn. Menarche on average occurred at age 12 and the onset of sexual intercourse at 16 years. Most of them were using oral contraceptives and were primigravidae. The highest incidence in previous pregnancies was normal delivery, and most of them never had spontaneous or induced abortions.

Biografia do Autor

A. N. Cunha, Universidade Federal do Mato Grosso

Especialização em Saúde Pública, Coletiva e da Familia pelo Instituto Tocantinense de Pós- Graduação, Brasil(2008) professor/auxiliar da Universidade Federal de Mato Grosso , Brasi

S. V. Jezus, Universidade Federal do Mato Grosso

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2013). Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso (2004). Atualmente é professora Adjunto I, da Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Sinop. Membro do Colegiado de Curso de Enfermagem, membro da Comissão de Controle e Combate ao Aedes Aegypti, presidente da Comissão de Estágios e Aulas de Campo em Saúde Pública e professora da disciplina de Estágio Supervisionado em Enfermagem I- Saúde Pública. Tem experiência e possui estudos na área de Enfermagem, com ênfase em Saúde Coletiva e na área de Educação com uma abordagem para as Políticas de Educação Superior

R. G. Masochini, Universidade Federal do Mato Grosso

Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro- Escola de Enfermagem Ana Nery-UFRJ, mestre em Saúde e Gestão do trabalho na Universidade do Vale do Itajaí-SC, na área da saúde do Idoso. Possui graduação em Enfermagem pela Universidade de Marília (2002) e em Educação Física pela Universidade de Marília-SP (1996) e especialização em Políticas Públicas no Instituto Cuiabano. Atualmente é professora titular - da disciplina Saúde do Adulto e Idoso-UFMT(Servidor Público). É coordenadora do Projeto Vida Leve- Atenção Básica da Universidade Federal de Mato Grosso. Trabalhou durante sete anos na Gerência de Enfermagem da Unidade de Saúde Botânico, no Município de Sinop e Educadora Física na Secretária de Esporte e Lazer. Em 2014, recebeu o Prêmio do Ministério da Saúde em Experiências Exitosas através do produto da dissertação intitulado: Ambiência Urbana e Capacidade Funcional dos idosos que migraram para região da Amazônia Legal.

Referências

AGUILAR, R.P.; SOARES, D.A. Barreiras à realização do exame Papanicolau: perspectivas de usuárias e profissionais da Estratégia de Saúde da Família da cidade de Vitória da Conquista-BA. Physis: Revista de Saúde Coletiva 25(2): 359-379, 2015.

ANJOS, J.C.S.; PEREIRA, R.R.; FERREIRA, P.R.C.; MESQUITA, T.B.P.; PICANÇO JÚNIOR, O.M. Perfil epidemiológico das gestantes atendidas em um centro de referência em pré-natal de alto risco. Revista Paraense de Medicina 28(2), 2014.

ARAÚJO, N.M.; SALIM, N.R.; GUALDA, D.M.R.; SILVA, L.C.F.P. da. Corpo e sexualidade na gravidez. Psic.: Teor. e Pesq. 28(1): 27-33, 2012.

BELO, M.A.V.; SILVA, J.L.P. Conhecimento, atitude e prática sobre métodos anticoncepcionais entre adolescentes gestantes. Rev. Saúde Pública 38(4): 479-487, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher – PNDS 2006: dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

DOMINGUES, R.M.S.M.; DIAS, M.A.B.; PEREIRA, M.N.; TORRES, J.A.; D’ORSI, E.; PEREIRA, A.P.E. SCHILITHZ, A.O.C.; LEAL, M.C. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cad. Saúde Pública 30(1): S101-S116, 2014.

FRANÇA, G.V.A.; BRUNKEN, G.S.; SILVA, S.M.; ESCUDER, M.M.; VENANCIO, S.I.; Determinantes da amamentação no primeiro ano de vida em Cuiabá, Mato Grosso. Rev. Saúde Pública 41(5): 711-718, 2007.

GOMES, M.T.; CÉSAR, J.A. Perfil epidemiológico de gestantes e qualidade do pré-natal em unidade básica de saúde em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade 8(27): 80-89, 2013.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censos Demográficos: Censo 2010. http://ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores Sociodemográficos e de Saúde no Brasil 2009. Rio de Janeiro, 2009.

INCA – Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Controle do câncer do colo do útero. http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa_nacional_controle_cancer_colo_utero/deteccao_precoce

KAUP, Z.O.L; MERIGHI, M.A.B.; TSUNECHIRO,M.A. Avaliação do consumo de bebida alcoólica durante a gravidez. Rev. Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia 23(9): 575-580, 2001.

KROEFF, L.R.; MENGUE, S.S.; SCHMIDT, M.I.; DUNCAN, B.B.; FAVARETTO, A.L.F.; NUCCI, L.B. Fatores associados ao fumo em gestantes avaliadas em cidades brasileiras. Rev Saúde Pública 38(2): 261-7, 2004.

LAGO, T. di G. do. Nascimentos não planejados no Brasil eram 46% em 2006. Diminuíram? Rev. bras. estud. popul. 32(2): 387-394, 2015.

MESQUITA, M.A. Efeitos do álcool no recém-nascido. Einstein 8(3): 368-375, 2010.

MORAES, C.L.; REICHENHEIM, M. E. Rastreamento de uso de álcool por gestantes de serviços públicos de saúde do Rio de Janeiro. Rev. Saúde Pública 41(5): 695-703, 2007.

OLIVEIRA, M.M.H.N.; SILVA, A.A.S.; BRITO, L.M.O.; COIMBRA, L.C. Cobertura e fatores associados à não realização do exame preventivo de Papanicolaou em São Luís, Maranhão. Rev. bras. epidemiol. [online] 9(3): 325-334, 2006.

PEIXOTO, C.R.; LIMA, T.M.; COSTA, C.C.; FREITAS, L.V.; OLIVEIRA, A.S.; DAMASCENO, A.K.C. Perfil das gestantes atendidas no serviço de pré-natal das unidades básicas de saúde de Fortaleza-CE. Rev. Min. Enferm. 16(2): 171-177, 2012.

PELIZARI, L.; CUNHA, A.N. da; SANTOS, P.M. dos; JEZUS, S.V. de; SANTOS, P.V.C. dos. Gravidez na adolescência: um rastreio da gravidez indesejada no município de Sinop-MT. In: CONGRESSO BRASILEIRO DOS CONSELHOS DE ENFERMAGEM, 19., 2016, Cuiabá. Anais... Cuiabá: COFEN, 2016.

PEREIRA, S.V.M.; BACHION, M.M. Diagnósticos de Enfermagem identificados em gestantes durante o pré-natal. Rev. bras. enferm. 58(6): 659-664, 2005.

SILVA, M.G.; GONTIJO, E.E.L.; FERREIRA, D.S.; CARVALHO, F.S.; CASTRO, A.M. O perfil epidemiológico de gestantes atendidas nas unidades básicas de saúde de Gurupi, Tocantins. Universitas: Ciências da Saúde 13(2): 93-102, 2015.

SOUZA, N.A.; QUEIROZ, L.L.C.; QUEIROZ, R.C.C.S.; RIBEIRO, T.S.F.; FONSECA, M.S.S. Perfil epidemiológico das gestantes atendidas na consulta de pré-natal de uma unidade básica de saúde em são Luís/MA. Rev. Ciênc. Saúde 15(1): 28-38, 2013.

SPINDOLA, T.; SILVA, L.F.F. Perfil epidemiológico de adolescentes atendidas no pré-natal de um hospital universitário. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem 13(1): 99-107, 2009.

VIELLAS, E.F.; DOMINGUES, R.M.S.M.; DIAS, M.A.B.D.; GAMA, S.G.N.; THEME FILHA, M.M.; COSTA, J.V.; BASTOS, M.H.; LEAL, M.C. Assistência pré-natal no Brasil. Cad. Saúde Pública 30(1): S85-S100 2014.

Downloads

Publicado

2018-11-13

Como Citar

Cunha, A. N., Jezus, S. V., & Masochini, R. G. (2018). Epidemiological profile of pregnant women in primary health care. Scientific Electronic Archives, 11(6), 89–96. https://doi.org/10.36560/1162018592

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>