Influence of sociodemographic characteristics and daily living habits on the quality of life of elderly participants in the social group of the Sinop / MT City

Autores

  • S. L. B. Souza Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp.
  • R. S. W. Silva Federal University of Mato Grosso, Sinop campus, UFMT, Health Sciences Institute.
  • S. L. B. Souza Botucatu Medical School, Sao Paulo State University, UNESP, Brazil.
  • M. M. Sugizaki Federal University of Mato Grosso, Sinop campus, UFMT, Health Sciences Institute.

DOI:

https://doi.org/10.36560/1132018598

Palavras-chave:

Quality of life, Elderly population, Sociodemographic profile

Resumo

The Brazilian population is undergoing a demographic transition due to the decline in fertility rates and increased life expectancy, resulting in an aging population. This process requires a modification of public policies that address the needs of this population. The results of research on life quality have been used as an indicator of effectiveness and efficiency of interventions that have been carried out, which have shown relevance in the face of social transformations resulting from population aging. The objective of this study was to evaluate the influence of sociodemographic characteristics and daily living habits on the life quality of elderly who participate in social groups in the Sinop/MT city. This is an observational, qualitative, quantitative and exploratory study, conducted through direct interviews for convenience by WHOQOL-bref questionnaire and other specific sociodemographic questionnaire. Survey was conducted with a sample of 60 elderly, 30 men and 30 women, participants of the social group activities for at least six months. The results of this study indicate significant influence of physical activity, income, gender and consumption of alcoholic beverages with the domains of life quality. Among these factors, physical activity and income exerted strong influence in the areas of life quality, presenting significant difference in three of the four areas. Gender and consumption of alcoholic beverages had influence on only one domain. The observed results highlight the need to develop public policies and strategies that reduce the differences from income and promote the physical activity among the elderly in order to contribute to the equality of life of the same. We concluded that the healthy habits and good income might be important indicators to quality of life in elderly population.

Biografia do Autor

S. L. B. Souza, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp.

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Fisiopatologia em Clínica Médica. Concentração em cardiologia experimental. 

 

Referências

BRASIL. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Plano de ação internacional para o envelhecimento. 2003. <http://www.observatorionacionaldoidoso.fiocruz.br/biblioteca/_manual/5.pdf>

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo 2010. 2011. <http://www.sidra.ibge.gov.br>

Ministério da Saúde. Estatuto do Idoso. 2003. <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estatuto_idoso.pdf>

CAMARANO, A. A. Os Novos Idosos Brasileiros: Muito Além dos 60?. IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. 2004<http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/Arq_29_Livro_Completo.pdf>

CAMARANO, A. A.; KANSO, S. TD 1426 - Perspectivas de Crescimento para a População Brasileira: Velhos e Novos Resultados. IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Texto para Discussão nº 1.426. 1426, 31, 2009.

CENEVIVA, W. Estatuto do Idoso, Constituição e Código Civil: a terceira idade nas alternativas da lei. Revista A Terceira Idade. 30, 7-23, 2004.

DAWALIBI, N. W.; GOULART, R. M. M.; PREARO, L. C. 2014. Fatores relacionados à qualidade de vida de idosos em programas para a terceira idade. Revista de Ciência e Saúde Coletiva. 19, 3505-3512, 2014.

FARENZEMA, W. P.; ARGIMON, I. L.; MORIGUCHI, E.; PORTUGUEZ, M. W. Qualidade de vida em um grupo de idosos de Veranópolis. Revista Kairós. 1, 225-243, 2007.

FERNANDES, M.; SANTOS, S. Políticas públicas e direitos do idoso: desafios da agenda social do brasil contemporâneo. Achegas – Revista de Ciência Política. 34, 49-60, 2007.

FLECK, M. P. A.; LEAL, O. F.; LOUZADA, S.; XAVIER, M.; CHACHAMOVICH, E.; VIEIRA, G.; SANTOS, L.; PINZON, V. Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da OMS (WHOQOL-100). Revista Brasileira de Psiquiatria. 1, 19-28, 1999.

FREITAS, V. F. F. S. Qualidade de vida do idoso no município de Herval. Revista de Enfermagem e Saúde. 1, 156-163, 2011.

GONÇALVES, D. P. A. Qualidade de Vida, Funcionamento Cognitivo e Adesão em Idosos: Um Estudo Exploratório. 100 f. (Dissertação de Mestrado) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2012.

GRILLO, L. P.; FELIPE, M. R.; CALEFFI, F.; CANTO, F. B.; TAUIL, K. C.; MACHADO, M. R.; SILVA, V. S. Qualidade de vida, estado nutricional e hábitos alimentares de idosos pertencentes a uma equipe Estratégia Saúde da Família no sul do Brasil. Revista A Terceira Idade. 59, 6-22, 2014.

GUTIERREZ, B. A. O.; AURICCHIO, A. M.; MEDINA, N. V. J. Mensuração da qualidade de vida de idosos em centros de convivência. Revista do Instituto de Ciências da Saúde. 3, 86-190, 2011.

KALACHE, A.; VERAS, R.P.; RAMOS, L.R. The ageing of the world's population: a new challenge. Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 3, 200-210, 1987.

LEÃO, M. L. O envelhecimento no brasil: aspectos da transição demográfica e epidemiológica. Revista de Saúde Coletiva. 17, 135-140, 2007.

NASRI, F. O envelhecimento populacional no Brasil. Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein. São Paulo, 1, 54-56, 2008.

NUNES, D. P.; NAKATANI, A. Y. K.; SILVEIRA, E. A. S.; BACHION, M. M.; DE SOUZA, M. R. Capacidade funcional, condições socioeconômicas e de saúde de idosos atendidos por equipes de Saúde da Família de Goiânia (GO, Brasil). Revista de Ciência e Saúde Coletiva. 6, 2887-2898, 2010.

General Assembly. Implementation of the International Plan of Action on Ageing and related activities. 1991. <http://www.un.org/documents/ga/res/46/a46r091.htm>

Plano de Ação Internacional de Viena sobre o Envelhecimento. 1982. <http://www.un.org/es/globalissues/ ageing/docs/vipaa.pdf>

Organização Mundial da Saúde (OMS). Measuring Quality of Life. The World Health Organization Quality of Life Instruments. 1997. <http://www.who.int/mental_health/media/68.pdf>

Organização Pan-Americana da Saúde. Envelhecimento ativo: Uma política de saúde. 2005. <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf>

PEDROSO, B.; PILATTI, L. A.; GUTIERREZ, G. L.; PICININ, C. T. 2010 Cálculo dos escores e estatística descritiva do WHOQOL-bref através do Microsoft Excel. Revista Brasileira de Qualidade de Vida. 1, 31-36, 2010.

PEREIRA, R. J.; COTTA, R. M. M.; FRANCESCHINI, S. C. C.; RIBEIRO, R. C. L.; SAMPAIO, R. F.; PRIORE, S. E.; COECON, P. R. Contribuição dos domínios físico, social, psicológico e ambiental para a qualidade de vida global de idoso. Revista Psiquiátrica do Rio Grande do Sul, 1, 27-38, 2006.

PILGER, C.; MENON, M. H.; MATHIAS, T. A. F. Características sociodemográficas e de saúde de idoso: contribuições para os serviços de saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem. 5, 9, 2011.

VIANA, H. B. Avaliando a qualidade de vida de pessoas idosas utilizando parâmetros subjetivos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. 3, 149-158, 2004.

Downloads

Publicado

2018-06-04

Como Citar

Souza, S. L. B., Silva, R. S. W., Souza, S. L. B., & Sugizaki, M. M. (2018). Influence of sociodemographic characteristics and daily living habits on the quality of life of elderly participants in the social group of the Sinop / MT City. Scientific Electronic Archives, 11(3), 115–121. https://doi.org/10.36560/1132018598