Seed dormance breack of Araucária angustifolia (Bert.) O. Ktze

Autores

  • R. Marchezan FACC - Faculdade Concórdia
  • T. Gerber Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

DOI:

https://doi.org/10.36560/1262019898

Palavras-chave:

Germination, IVG, dormancy.

Resumo

The purpose of this study was to evaluate the breaking of dormancy of seeds of araucaria in different treatments, to elucidate what is the best germination condition for the species. The experiment was conducted in a laboratory, without control of incidence of light or temperature, leaving it to the maximum possible under natural conditions. The treatments consisted in four treatments and four replications, where each repetition, was composed of 5 sub-repetitions, totaling 20 units per treatment. The sowing was performed with one seed per glass. The characteristics evaluated were the percentage of germination and germination speed index (GSI). It was concluded that the best processes of breaking of seed dormancy of Araucaria angustifolia were through the permanence of the seeds in water for 24 hours (T3), followed by soaking in water for 12 hours (T2) and cutting the skin on the bottom of the seed (T4). Already the process considered unfavorable was without any treatment (T1).

Biografia do Autor

T. Gerber, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Trabalhou como Gestora e Analista técnica do Laboratório de Diagnose e Controle de qualidade da Empresa Gabbia Biotecnologia e Desenvolvimento Ltda/ Barra Velha, SC. Trabalhou na área docente na FACC - Faculdade Concórdia, atuando nas disciplinas de Biologia Geral, Ecologia, Fisiologia Vegetal, Metodologia Científica, Ecologia Urbana: Paisagem e Meio ambiente, Biotecnologia e Genética. Além disso, trabalhou no Setor de Apoio ao Estudante (SAE) nos períodos vespertinos, auxiliando em processos de estágios, bolsas, financiamento estudantil e Prouni aos acadêmicos na mesma instituição. Analista de Laboratório. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos, Algas e Plantas pela Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC/SC (2013) ? Bolsista Capes, na área de concentração de Fisiologia e Ecologia de Plantas. Graduada em Ciências Biológicas com Ênfase em Biotecnologia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina- UNOESC/SC (2010). Possui experiência na área da Microbiologia, Fisiologia, Bioquímica e Genética, trabalhando com Cultivo de microrganismos como Lactobacillus e Bifidobactérias para produçao de alimentos. Trabalhou com cultivo in vitro de plantas e produção de metabólitos primários e secundários de plantas, além de investigar o potencial das espécies vegetais, como fonte de compostos de interesse.

Referências

ANGELI, A.; STAPE, J. L..Araucaria angustifolia (Araucaria). [Piracicaba]: ESALQ/USP, 2003. Disponível em: <http://www.ipef.br>. Acesso em: 10 de junho de 2010.

Angeli, A. Araucaria angustifolia (Araucaria). Departamento de Ciências Florestais - ESALQ/USP, 2003. Disponível no site do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, Piracicaba/SP.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: MAPA/ACS, 399p. 2009.

CAÇOLA, A. V.; AMARANTE, C. V. T.; FLEIG, F. D.; MOTA, C.S. Qualidade Fisiológica de sementes de Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze submetidas a diferentes condições de armazenamento e escarificação. Ciência Floresta, Santa Maria, v.16, n.4, p.391-398. 2006.

CARVALHO, P. E. R. Espécies florestais brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidades e usos da madeira. Colombo: EMBRAPA/CNPF, 1994. 640 p.

Carvalho, Paulo Ernani Ramalho; Medrado, Moacir José Sales & Hoeflich, Vitor Afonso. Cultivo do pinheiro-do-paraná. Embrapa Florestas, Sistemas de Produção, 7. Versão Eletrônica, Jan./2003

FIGLIOLIA, M. B., OLIVEIRA, E. C. & PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. Análise de sementes. In: AGUIAR, I.B., PIÑA-RODRIGUES, F.C.M. & FIGLIOLIA, M.B (Coord.). Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES, p. 137-174, 2013

FILHO, L. DONI; AMARAL, L.; CERVI, P. H. Métodos para testar o poder germinativo das sementes de Araucária angustifolia (Bert) O. Ktze. Revista Brasileira de Sementes, 1985, 7.2: 113-124.

FLORIANO, E. P. Germinação e dormência de sementes florestais. Caderno Didático nº 2, 1ª ed./ Santa Rosa, 19 p. il. 2004.

JANKAUSKIS, J. Ensaio sobre a influência da imersão na seleção e germinação de Araucaria angustifolia -Revista Floresta, Curitiba, p. 2-4, 1970.

MOREIRA-SOUZA, M.; CARDOSO, E. J. B. N. Dependência micorrízica de Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze. sob doses de fósforo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 2002, 26.4.

PINHEIRO, A. L.; MARAGON, L. C.; PAIVA, GERALDO, L. R. M. Características fenológicas do cedro (Cedrela fissilis Vell.) em Viçosa, MG.

SCHEEREN, L.W.; FINGER, C.A.G.; SCHUMACHER, M.V.; LONGHI, S.J. Crescimento em altura de Araucaria angustifolia (bert.) o. ktze. em três sítios naturais, na região de canela – RS. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 23-40.1999.

Downloads

Publicado

2019-12-02

Como Citar

Marchezan, R., & Gerber, T. (2019). Seed dormance breack of Araucária angustifolia (Bert.) O. Ktze. Scientific Electronic Archives, 12(6), 1–4. https://doi.org/10.36560/1262019898

Edição

Seção

Agricultural Science

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)