Disinfection, germination and micropropagation in vitro of Apuleia leiocarpa (Vogel) Macbride

D. Fabris, T. Gerber, L. M. Sartoretto

Resumo


The present study aimed to establish the protocols for disinfestations, germination and in vitro micropropagation of grápia (Apuleia leiocarpa (Vogel) Macbride). To disinfestations and break seed dormancy, were tested three treatments, and inoculated into test tubes containing growing medium. As for variable germination were tested four medium of nutritious, MS, MS½, WPM, WPM ½. And, to introduce organogenesis, the growing medium used was WPM, supplemented with BAP, at concentrations of 0,0; 0,4; 0,8 ml/L, combined with ANA in the concentration of 0,05 ml/L. The explants used in this study were hypocotyls and cotyledons obtained from grapia seedling germinated in vitro, 30 days after inoculation in growing medium. The organogenesis induction was performed in WPM growing culture. The evaluated parameters in this study were the disinfestation and break dormancy, germination and organogenesis induction. The data were subjected to variance analysis and the by Tukey test, at 95% of probability. Treatment III showed to be more efficient for both aseptic and to break seed dormancy, providing 92% of germination and 2% of contamination. As for the in vitro germination, the WPM and WPM½ growing cultures were the most effective, favoring 100% of germination. For various formations of calluses and sprouts on hypocotyls explants, there was no significant difference between the tested BAP concentrations. However, it was observed in cotyledon explants that the best results occurred at concentrations of 0,8 ml and 0,4 ml of BAP and 0,05 ml of ANA. 


Palavras-chave


Germination, Break dormancy, Organogenesis

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, E. C. S. de C. et al. Organogênese in vitro a partir de explante caulinar na regeneração de clones de Eucalyptus grandis w. Hill ex maiden x E.urophylla s. t. blake. Revista Árvore, Viçosa, v.28, n.5, p.643-653, 2004.

ARELLO, E. F; PINTO, J. E. P. Propagação in vitro de Kielmeyera coriacea I. Efeito das diversas concentrações combinadas de benzilaminopurina e ácido naftalenacético na multiplicação de brotos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 28, n. 1, p. 25-31, jan. 1993.

BACKES, P; IRGANG, B. Mata Atlântica - As árvores e a paisagem. Porto Alegre: Paisagem do Sul, 2004. 396 p.

CANDIDO, D. F; TESTA, M. M. B. Estabelecimento de protocolos de desinfestação, germinação e regeneração in vitro para sementes de cedro (Cedrela fissillies Vell.) Xanxerê, 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) – Universidade do Oeste de Santa Catarina, Xanxerê, 2010.

CARVALHO, P. E. R. Espécies florestais brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Brasília: Embrapa- CNPF, 1994. 639 p.

CID, L. P. B.; TEIXEIRA, J.B. Biorreatores para produção de mudas em larga escala. In: CID, L Pedro Barrueto. Cultivo in vitro de plantas. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2010. cap. 6, 157-234.

CORDEIRO, I. M. C. C et al. Efeito de BAP sobre a proliferação de brotos in vitro de Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke (PARICÁ). Cerne, Lavras, v. 10, n. 1, p. 118-124, jan./jun. 2004.

FERMINO JUNIOR, P. C. P.; Scherwinski-Pereira, J. E. Germinação e propagação in vitro de cerejeira (Amburana acreana (Ducke) A.C. Smith - Fabaceae). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, n. 1, p. 1-9, jan.-mar, 2012.

FICK, T. A. Estabelecimento in vitro e propagação de Cordia Trichotoma (Vell.) Arrabida ex Steudel (louro-pardo). 2007. 63f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2017.

LEMOS FILHO, J. P. et al. Germinação de sementes de Senna macranthera, Senna multijuga e Stryphnodendron polyphyllum. Pesquisa agropecuaria brasileira, Brasilia, v.32, n.4, p.357-361. 1997.

GOLLE, D. P. Estabelecimento, multiplicação, calogênese, organogênese in vitro e análise da diversidade genética em acessos de Eugenia involucrata DC. 2010. 159 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.

GRATTAPAGLIA, D.; MACHADO, M. A. Micropropagação. In: TORRES, A. C. Et al.Cultura de tecidos e transformação genética de plantas. Brasília, DF: Embrapa, EMBRAPA - CNPH, 1998. v. 2. p. 183 – 260.

FRANCO, E. T. H; FERREIRA, A. G. Tratamentos pré-germinativos em sementes de Dydimopanax morototoni (Aubl.) Dcne. et Planch. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 12, n. 1, p.1-10, 2002.

KALIL F. A. N. et al. A Micropropagação do mogno (Swietenia macrophylla):

desinfestação e germinação. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE

ECOSSISTEMAS FLORESTAIS – FOREST 2000, 6, 2000, Porto Seguro. Anais...

Porto Seguro: [s.n.], 2000.

MARTINOTTO, C. Cultivo in vitro e aspectos morfofisiológicos de cagaiteira

(Eugenia dysenterica DC.). 2004. 84 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia/ Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2004.

MISSIO, E. L. et al. Respostas de sementes de flamboyant submetidas a dois métodos de superação de dormência. Revista FZVA, Uruguaina, v. 18, n.2, p. 46-55. 2011. Disponível em:< http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fzva/article/viewFile/10435/7365>. Acesso em: 23 maio. 2013.

NICOLOSO, F. T. et al. Exigências nutricionais da grápia (Apuleia leiocarpa Vog. Macbride) em solo podzólico vermelho amarelo. Revista Ciência Rural, Santa Maria, v. 29, n. 2, p. 225-231, jun. 1999.

NASCIMENTO, P. K. V. do. et al. Desinfestação e germinação in vitro de sementes de Parapiptadenia rigida Bentham (Brenam). Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 2, p. 141-143, jul. 2007.

NICOLOSO, F. T.et al. Efeito de métodos de escarificação na superação da dormência de sementes e de substratos na germinação e no desenvolvimento de grápia (Apuleia leiocarpa). Ciência Rural, Santa Maria, v. 27, n. 3, p. 419-424, 1997.

NICOLOSO, F. T. et al. Calagem e adubação NPKS: (I) Efeito no crescimento de mudas de grápia cultivadas em horizontes A e B de um Argissolo Vermelho distrófico arênico. Revista Ciência Rural, Santa Maria, v. 38, n. 6, p. 1596-1603, set. 2008.

ROSA, F. C da. et al. Superação da dormência e germinação in vitro de sementes de bracatinga (Mimosa scabrella Bentham) Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, n. 3, p. 1021-1026, maio/jun. 2012.

ROSSI, E; SARTORETTO, L. M. Propagação in vitro da farinha-seca. Pesquisa floestal brasileira, Colombo, v. 33, n. 73, p. 00-00, jan./mar. 2013.

SARTORETTO, Laudete Maria; BOBROWSKI, V.L.; AUGUSTIN, E; PETERS, J.A. Influência do estado físico do meio de indução de calos e de diferentes meios de regeneração na formação de brotos de aspargo. Agropecuária Clima Temperado, Pelotas, v. 2, n. 1, p. 5-11, 1999.

SILVA, F. de A. S. e.; AZEVEDO, C. A. V. de. Principal Components Analysis in the Software Assistat-Statistical Attendance. In: WORLD CONGRESS ON COMPUTERS IN AGRICULTURE, 7, Reno-NV-USA: American Society of Agricultural and Biological Engineers, 2009.

STEIN, V. C. et al. Organogênese direta em explantes caulinares de ingazeiro (Inga vera Willd. Subsp. Affinis (DC.) T.D. Penn.). Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 2, p. 723-725, jul. 2007.

XAVIER, A. et al. Micropropagação e enxertia in vitro de espécies florestais. In: BORÉM, Aluízio. Biotecnologia florestal. Viçosa, MG: UFV Fundação Authur Bernardes, 2007. p. 55 – 74.

ZANOTTI, R. F. et al. Germinação e indução da calogênese in vitro de copaíba. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v.8, n.15; p. 986-991. 2012




DOI: http://dx.doi.org/10.36560/932016215

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio:
Endereço: 
Universidade Federal de Rondonópolis
Avenida dos Estudantes, 5055 - Cidade Universitária
Rondonópolis - MT, 78735-901