Control of antimicrobial drugs: analysis from the rdc 44 of October 26, 2010

D. C. Gonçalves, S. F. S. Moraes, T. F. B. X. Silva, N. Lubi

Resumo


The indiscriminate use of antibiotics has been reported as an agent for predisposing episodes of bacterial resistance, the bacteria along of the time spent to develop various coping mechanisms. ANVISA considering the increase in cases of hospital infections by antibiotic-resistant microorganisms determined the RDC 44, 2010 which regulates the dispensing of medicines made from classified as antimicrobial substances. This work it is a descriptive literature review that evaluated studies related to prescribing, dispensing and use of antibiotics before and after the RDC 44 of 2010. It was observed that the most of used in therapeutic classes of antibiotics before the current legislation are the same as those after the law. About knowledge and acceptance by the population, 87.2% were satisfied and understood the new regulatory measures, who disagreed (2.4%) with such changes, the need for medical consultation to obtain prescription was the point of discontent. There are still some drugstores, where professionals do not require that there be a prescription (25%), analyzing the prescriptions it was noted that 100% contained the prescribing data and 87.7% contained the date of issue. According to the results obtained can be seen that there was rather changes in relation to consumption of antibiotics after the RDC 44, 2010, however, there are still cases where the law is not fully enforced, for this, it is necessary that there is better control by public health managers.

Palavras-chave


Antimicrobials, Bacterial resistance, RDC 44/2010, RDC 20/2011

Texto completo:

PDF

Referências


BALBINO, A. C.; AMADIO, A. R. J. Klebsiella pneumoniae Produtora de Carbapenemase (KPC), Nota Técnica CRF-MT, Mato Grosso, n. 1, 2011.

BARROS, A. A instituição de um programa de vigilância de antimicrobianos e o impacto na resistência bacteriana no Instituto de Cardiologia de Porto Alegre: Uma análise de 10 anos. 2013. 20f. Trabalho de Conclusão de Curso - Curso de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

BIRGUET, P. Farmácias passam a reter receitas de antibióticos. Gazeta do Povo, 29 nov. 2010. Disponível em: http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/farmacias-passam-a-reter-receitas-de-antibioticos-08pgy7umgf19fkkyc80wdo9ji. Acesso em 10 junho de 2015.

BRAOIOS, A. et al. Uso de antimicrobianos pela população da cidade de Jataí (GO), Brasil. Ciência e Saúde Coletiva, Goiás, v. 18, n. 10, p. 3055-3060, 2013.

BRASIL. Conselho Federal de Medicina. Resolução CFM nº 1.931, de 17 de setembro de 2009 – Dispõe sobre a aprovação do Código de Ética Médica. Disponível em: http://www.cremesp.org.br/library/modulos/legislacao/versao_impressao.php?id=8822. Acesso em 25 de junho de 2015.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n° 44, de 26 de outubro de 2010– Dispõe sobre o controle de substâncias contendo antimicrobianos. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0044_26_10_2010.html. Acesso em: 21 de abril de 2015.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n° 20, de 05 de maio de 2011– Dispõe sobre o controle de substâncias contendo antimicrobianos. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/4d67008046834fb98a629e99223cd76e/RDC+20+2011.pdf?MOD=AJPERES. Acesso em 02 maio de 2015.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução normativa nº 1, de 14 de janeiro de 2013. Dispõe sobre o cronograma e procedimentos para credenciamento de farmácias e drogarias referentes à escrituração dos medicamentos antimicrobianos. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/sngpc/documentos%202013/INSTRUCAO_NORMATIVA_N1.pdf. Acesso em 24 de maio de 2015.

CESCA, H. Farmácias querem o fim de restrição ao antibiótico. Gazeta do Povo, 09 dez. 2010. Disponível em: http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/farmacias-querem-o-fim-de-restricao-ao-antibiotico-11q4y4lwq88fntwbpg0mdyo26. Acesso em 10 junho de 2015.

FIOL, D. S. F., et al. Perfil de prescrições e uso de antibióticos em infecções comunitárias. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 68-72, jan/fev. 2010.

GURGEL, C. T.; CARVALHO, S. W. A Assistência Farmacêutica e o Aumento da Resistência Bacteriana aos Antimicrobianos. Latin American Journal of Pharmacy, Minas Gerais, v. 27, n. 1, 2008.

HARAGUCHI, T. Antibióticos: Classificação Geral. Grupo Editorial Moreira Jr, São Paulo, v. 57, p. 10, out. 2000.

HOEFLER, R. et al. Ações que estimulam o uso racional de antimicrobianos. Boletim Farmacoterapêutica, Brasília, n. 4, jul/ago. 2006.

MARTINS, B. N. et al. Análise de prescrição médica de antibióticos de uma farmácia comercial do município de Imperatriz-MA. Revista Cientfíca do ITPAC, Araguaína, v. 7, n. 4, 2014.

MATOS, J. H. et al. Estudo da Interação medicamentosa entre anticoncepcionais e antibióticos em alunas do Centro Universitário Estácio de Sá de Santa Catarina. Revista Eletrônica Estácio Saúde, Santa Catarina, v. 3, n. 1, 2014.

NICOLINI, P. et al. Fatores relacionados à prescrição médica de antibióticos em farmácia pública da região Oeste da cidade de São Paulo. Ciência e Saúde Coletiva, São Paulo, v. 13, p. 689-696, 2008.

NOVARETTI, Z. C. M., et al. Controle de vendas de antibióticos no Brasil: Análise dos atos regulatórios no uso abusivo pelos consumidores. Revista Acadêmica São Marcos, Alvorada, ano 4, n. 2, p. 25-39, jul./dez. 2014.

OLIVEIRA, T. O. A., et al. Atenção farmacêutica na antibioticoterapia. Visão Acadêmica, Curitiba, v. 5, n. 1, p. 7-14, jan/jun. 2004.

OLIVEIRA, M. B. F., et al. Uso indiscriminado de antibióticos e resistência microbiana: uma reflexão no tratamento das infecções hospitalares. Revista Interdisciplinar NOVAFAPI, Teresina, v. 4, n. 4, p. 72-77, out/dez. 2011.

OLIVEIRA, C. A.; PAULA, O. A. Deslocamento de antimicrobiano e custos do tratamento de pacientes com infecção. Acta Paul Enferm., Minas Gerais, v. 25, n. 2, p. 68-74, 2012.

POLISEL, G. C.; BERGÊ, S. R. Avaliação da conformidade de prescrições médicas e dispensação de antimicrobianos. Revista Brasileira Promoção à Saúde, Fortaleza, v. 27, n. 1, p. 21-28, jan./mar. 2014.

QUEIROZ, M. G. et al. Multirresistência microbiana e opções terapêuticas disponíveis. Revista Brasileira Clinica Médica, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 132-138, mar/abr. 2012.

SILVA, R. N. D., et al. Análise do conhecimento e opinião da população sobre a atual regulamentação para a venda de antibióticos no Brasil. Cadernos Acadêmicos, Palhoça, SC, v. 4, n. 2, ago./dez. 2012.

TEIXEIRA, S. D. M. Antibióticoterapia: Visão do paciente quanto aos riscos da automedicação-Levantamento de dados em uma farmácia de bairro no município de Ararangua – SC. 2012, 69f. Trabalho de Conclusão de Curso – Curso de Farmácia, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Ararangua – SC, 2012.

TERRÍVEL, R. F. J. Antibióticos e resistência, fiabilidade de um questionário online. 2008. 110 f. Dissertação (Mestrado em Biomedicina Molecular) – Centro de Biologia Celular da Universidade de Aveiro, Portugal, 2011.

WANNMACHER, L. Uso indiscriminado de antibióticos e resistência microbiana: Uma guerra perdida? ISSN 1810-0791, Brasília, v. 1, n. 4, mar. 2004.

ZIMERMAN, A. R. Uso Indiscriminado de Antimicrobianos e Resistência Microbiana. Uso Racional de Medicamentos: Temas selecionados, n. 3, p. 1-15, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.36560/1012017314

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio:
Endereço: 
Universidade Federal de Rondonópolis
Avenida dos Estudantes, 5055 - Cidade Universitária
Rondonópolis - MT, 78735-901