Germination and development of Brachiaria seedling in textures of soil and sowing depth

J. H. Castaldo, M. Sorace, A. Nolla Nolla, L. V. Mota Neto

Resumo


The agriculture expansion at Brazil is turning to lower clay index soils and consequently, less organic matter content and cation exchange capacity. To overcome those deficiencies, an intense organic matter addition in these soils may be a solution, and this solution is positive when using a crop-livestock integration with corn-pasture dual crop planted on winter. However, to establish this dual-crop system, there is a need to study the behavior of seeds and seedlings of Brachiaria ruziziensis sown in greater depths than normally recommended. Thus, this work aimed to determine the best depth of sowing B. ruziziensis in sandy and loamy soils of Umuarama region, studying the germination and early development of seedlings. The work was held in pots of 12 cm diameter x 12 cm deep, filled with 2 types of soil, a sandy and clay ones with 30 B. ruziziensis seeds sown each pot in five sowing depths: 0, 2, 4, 6 and 8 cm. After 16 days, the number of emerged seedlings was evaluated to set up the germination rate of each treatment, after that, the plants where leveled to 4 each pot, those were cultivated for another 45 days to evaluate the fresh and dried masses of plants and roots, the height of the plants and average length of roots. The sowing depth with higher percentage of germination estimated was 2.65 cm to sandy and 3.02 cm to clay soil. At seedlings development, there was a standard, with better development seedling at lower sowing depths on clay soil and better developments at higher sowing depths in sandy soil.


Palavras-chave


Sandy soil, Brachiaria ruziziensis, dual-crop, crop-livestock integration

Texto completo:

PDF (English)

Referências


BISSANI, C.A.; CAMARGO, F.A.O.; GIANELLO, C.; TEDESCO, M.J. Fertilidade dos solos e manejo da adubação de culturas. 1 ed. Porto Alegre: Metrópole, 2008. 344 p.

BORGHI, E.; BORTOLON, L.; AVANZI, J.C.; BORTOLON, E.S.O.; UMMUS, M.E.; GONTIJO NETO, M.M.; COSTA, R.C. Desafio das novas fronteiras agrícolas de produção de milho e sorgo no Brasil – Desafios na região do MATOPIBA. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MILHO E SORGO, 30, 2014, Anais. Salvador: EMBRAPA, 2014. 4p.

CASTALDO, J.H.; NOLLA, A.; MOTA NETO, L.V.; CARINEIRO, A.R.; ROSSA, A.P. Milho e Brachiaria consorciados no sistema integração lavoura-pecuária. JournalofAgronomicSciences, Umuarama, v.4, n.e, p.375-388, 2015.

CECCON, G.; MATOSO, A.O.; NUNES, D.P.; Germinação de Brachiaria ruziziensis em Consórcio com Milho em Função da Profundidade de Semeadura e Tipos de Sementes. In: CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO, 27, 2008, Londrina. Resumos. Londrina: IAPAR, 2008. p.390-390.

COSTA, E.M.; SILVA, H.F.; RIBEIRO, P.R.A.; Matéria orgânica do solo e o seu papel na manutenção e produtividade dos sistemas agrícolas. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v.9, n.17, p.1842-1860, 2013.

CUNHA, T.P.L.; CHIAMOLERA, F.M.; BIELA, F.; SANTANA, S.M.; DIAS-ARIEIRA, C.R. Características agronômicas do milho sob duas fontes de adubação em sucessão à culturas de inverno. In:CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO, 29, 2012, Águas de Lindóia, Resumos, Águas de Lindoia: EMBRAPA,2012. p.1190-1196.

DICK, D.P.; NOVOTNY, E.H.; DIECKOW, J.; BAYER, C. Química da matéria orgânica do solo. In: MELO, V.F.; ALLEONI, L.R.F. (Ed.) Química e mineralogia do solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2009. p.1-67.

FRANCHINI, J.C.; SILVA, V.P.; BALBINOT JR, A. A.; SICHIERI, F.; PADULLA, R.; DEBIASI, H.; MARTINS, S. S.; Integração lavoura-pecuária-floresta na região noroeste do Paraná.Londrina: EMBRAPA, 2011. 14 p.

GASPAR-OLIVEIRA, C.M.; MARTINS, C.C.; NAKAGAWA, J.; CAVARIANI, C. Duração do teste de germinação de Brachiariabrizantha cv. Marandu (Hochst. ex A. Rich.) Stapf. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.30, n.3, p.32-40, 2008.

LANDAU, E.C.; SANS, L.M.; SANTANA, D.P. Clima e Solo (Milho). In: José Carlos Cruz. (Org.). Cultivo do Milho - Sistema de Produção. 5ed.Sete Lagoas: EMBRAPA Milho e Sorgo, 2009. 7p.

NASCIMENTO, P.C.; LANI, J.L.; MENDONÇA, E.S.; ZOFFOLI, H.J.O.; PEIXOTO, H.T.M. Teores e características da matéria orgânica em solos hidromórficos do estado do Espírito Santo. Revista Brasileira de Ciência do Solo. Viçosa, v.34, n.2, p.339-348, 2010.

PACHECO, L.P.; PIRES, F.R.; MONTEIRO, F.P.; PROCÓPIO, S.O.; ASSIS, R.L.; PETTER, F.A. Profundidade de semeadura e crescimento inicial de espécies forrageiras utilizadas para cobertura do solo. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.34, n.5, p.1211-1218, 2010.

PAULINO, V.T.; PAULINO, T.S.; TSUHAKO, A. T. Efeito do Estresse Hídrico e da Profundidade de Semeadura na Emergência de Brachiariabrizanthacv. MG-5. Revista Eletrônica de Agronomia, Garça, v. 1, n.6, p.1-5, 2004.

REZENDE, A.V; VILELA, H.H.; ALMEIDA G.B.S.; LANDGARF, P.R.C.; ANDRADE, G.A.; VIEIRA, P.F.; Germinação de sementes de forrageiras em diferentes profundidades de semeaduras. In: SIMPÓSIO DE FORRAGICULTURA E PASTAGENS, 6, Lavras: UFLA/NEFOR, Anais, 2007. p.1-3.

SÁ, M.A.C.; SANTOS JUNIOR, J.D.G. Compactação do solo: Consequências para o crescimento-vegetal.EMBRAPA: Planaltina, n.136,2005. 5p.

YASSU, F. Paraná abre nova fronteira agrícola. Revista Agro DBO. São Paulo,n.37, p.18-21. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.36560/942016348

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio:
Endereço: 
Universidade Federal de Rondonópolis
Avenida dos Estudantes, 5055 - Cidade Universitária
Rondonópolis - MT, 78735-901