Sexuality in pregnancy: perception of pregnant women in an educational group

C. C. Leite, R. G. Masochini, A. N. Cunha, M. C. Paese, C. R. Barros, S. V. Jezus, P. P. Cavalcante

Resumo


The gestational period is packed with special features, is one of the stages of a woman's life that most needs attention, because it is a time when physical changes occur, emotional, sexual, and existential fact that requires a series of adjustments. Understanding this problematic, the general objective of the study was to analyze the perception of pregnant women participating in a group about sexuality in pregnancy. This was a descriptive and exploratory research with qualitative approach, in which the subjects were seven pregnant women who were part of the Group of pregnant women seen in Basic Health Unit Botanical Garden in the city of Sinop-MT. The interviews were conducted in private, and individual form in a reserved room, without identifying the names of the participants who were coded by name of flowers picked at random, the data were analyzed by content analysis technique, thematic mode via non-a priori categories. Five categories of analysis were obtained, through the lines of the participants: physical discomforts caused negative changes in sexual intercourse; Living positively eat physical changes that occur in pregnancy; Changes and sexual adaptation during pregnancy; Feelings of fear and guilt about the baby; and pain sensation during sex. The study showed that pregnant women associate changes in sexual behavior, whether positively or negatively, to the physical and psychological discomforts of pregnancy, in the perception of them, these sexual behavior changes resulting from pregnancy. It was evidenced that some couples have adapted their sexual practices as required by the pregnant woman, but at the same time, have difficulty in having a sexual relationship out of fear or fear are hurting the baby.  Through the lines, you can reaffirm the female submission to the sexual act, for demonstrating that often for pregnant women this is a painful moment and without pleasure, however, she submits to no longer comply with their obligations. Sexuality, especially in pregnancy, is still a subject of superficial way, surrounded by myths and taboos. Soon, it is believed that this research served as the pioneering for new studies, suggesting deepening issues pertaining to pain and submission to intercourse during pregnancy. 

 


Palavras-chave


Pregnant women. Sexuality. Public Health

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALBUQUERQUE, G.A. et al. Autonomia sexual feminina: o preservativo femininonas práticas eróticas. Rev Saúde.Com., v. 11, n. 3,p. 252-265, 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

ALONSO, I.L.K. O processo educativo em saúde- na dimensão grupal. Texto Contexto Enfermagem, v. 8, n.1, p. 122-132, jan/abr,1999.Disponível em: Acesso em: 28 jun. 2016.

ARAÚJO, N.M. et al.Bodyandsexualityduringpregnancy.RevEscEnferm USP, v. 46, n. 3, p. 552-558, 2012.Disponível em:. Acesso em: 16 jul. 2016

ALVES, V.S. Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface Comunic. Saúde Educ, v.9, n.16, p.39-52, 2005.Disponível em:. Acesso em: 05 fev. 2016.

ARTILLES,P.V.; GUTIERREZ, S.M.D.; SANFÉLIX, G.J. Função sexual feminina e fatores relacionados. Aten Primaria, v. 38, n. 6, p. 339-444, 2006. Disponível em:.Acesso em: 10 fev. 2016.

ÁVILA,A.Socorro, Doutor! Atrás da barriga tem gente! São Paulo: Ateneu, 1998.

BALLONE, G.J. Gravidez e sexualidade. 2002.Disponível em:. Acesso em: 03 fev. 2016.

BARBOSA, B.N. et al. Sexualidade vivenciada na gestação: conhecendo essa realidade. Rev Eletr. Enferm., v. 13, n. 3, p. 464-473, 2011. Disponível em . Acesso em: 26 jun. 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa. Edições 70, 1979.

BERENSTEIN, E.A. A sexualidade do ciclo gestatório/puerperal. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticos de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada a mulher. Brasília: Ministério da Saúde, 2001. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2016.

_____. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília-DF, 12 de dezembro de 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2015.

CAMACHO,K.G.; VARGENS, O.M. da C.; PROGIANTI,J.M. Adaptando-se à nova realidade: a mulher grávida e o exercício de sua sexualidade. Revista de Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 18, n.1, p. 32-37, 2010. Disponível em:. Acesso em: 15 jun. 2016.

CAMPOS, C.J.G. Método de análise de conteúdo: ferramenta para análise de dados qualitativos no campo da saúde. RevBrasEnferm, Brasília (DF), v. 57, n. 5, p. 611-614, 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

CANELLA, P.R.B. Exercício da sexualidade durante a gestação. Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana. São Paulo, v.3, n.4, 2000. Disponível em:. Acesso em: 02 jul. 2016.

CARVALHO, F.A.M. Sexualidade da mulher no ciclo gravídico-puerperal e valores culturais. Fortaleza, 1997. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2016.

CHAVES NETTO, H.; SÁ, R.A. M.Obstetrícia Básica. 2. ed. Edição e Revista Atualizada. São Paulo: Atheneu, 2007.

COSTA, N.R. Estado, educação e saúde: a higiene da vida cotidiana. Cad. Cedes, n.4, p. 5-27, 1987.

CREMONESE, L. et al. Grupo de gestantes como estratégia para educação em saúde. Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Santa Maria, p.1-7, 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2016.

DESLANDES, S.F.; GOMES,R.; MINAYO, M. C. S.Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 31. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

DEUCHER, C.V; BUZZELLO,C dos S. Grupo de gestantes e/ou casais grávidos: a universidade interagindo com a comunidade. Extensio-Revista Eletrônica de Extensão, n.1, 2004. Disponível em: . Acesso em: 08 maio 2016.

FRANCESCHET, J.; SACOMORI, C.; CARDOSO, F.L. Força dos músculos do assoalho pélvico e função sexual em gestantes. RevBrasFisioter. v. 13, n. 5, p. 383-389, 2009. Disponível em: .Acesso em: 12 jun. 2016.

FLORES, A.L.G.C.; AMORIN, V.C.O. Sexualidade na gestação: mitos e tabus. Revista Eletrônica de Psicologia, n.1. jul., 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2016.

FOUCAULT, M. História da sexualidade ll: o uso dos dois prazeres.7. ed. Rio de Janeiro (RJ): Graal, 1994.

GENIAKE, L.M.V. Oficinas educativas com gestantes: uma intervenção na unidade de saúde da família. Rev Ed. Popular, Uberlândia, v.14, n.1, p.136-144, jan/jun. 2015. Disponível em:. Acesso em:21 jul. 2016.

GOMES, M.C.R. Alguns fatores que influenciam o desejo sexual do casal durante a gravidez. Tese(Mestrado). Universidade de Lisboa, 2009.

GONDIM, A.N.C. Estudo descritivo sobre a sexualidade da mulher vivenciando a gestação. Congresso Brasileiro de Enfermagem, Ceará, 2009.

GOZZO, T.O. et al. Sexualidade feminina: compreendendo seu significado. Rev.latino-am.enfermagem, Ribeirão Preto, v. 8, n. 3, p. 84-90, julho, 2000. Disponível em:. Acesso em: 26 jun. 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estimativa Populacional de 2010. Disponível em:. Acesso em: 22 ago. 2010.

JUNQUEIRA, M.H.C.A. Discursos femininos sobre sexualidade durante a gravidez. (Tese). Lisboa, 2008.

KLAUS, M.; KENNEL, J. Pais/bebê: a formação do apego.Artes Médicas: Porto Alegre, 1992.

KLEIN, M.M.S; GUEDES, C.R. Intervenção psicológica a gestantes: contribuições do grupo de suporte para promoção de saúde.Psicologia Ciência e Profissão. 2008, Disponível em:. Acesso em: 15 jun. 2016.

LAZARINI, W.S.; SODRÉ, F.; LIMA, R.C.D. Educação em saúde como estratégia de gestão: desafios para atenção primária à saúde. Saberes, p. 284-319, 2014. Disponível em:. Acesso em: 20 jul. 2016.

LECH, M. B.; MARTINS, P.C.R. Oscilações do desejo sexual no período gestacional. Revista Estudos de Psicologia, PUC Campinas, v.20, n.3, p. 37-46, setembro/dezembro, 2003. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2016.

MALDONADO, M.T.P. Psicologia da gravidez. Vozes: Petrópolis, 1997.

MARTINS, T.M.; LIMA, A.; ALMEIDA, Y. Abordagem sobre a sexualidade durante a gestação.Perspectiva Amazônica. v. 2, n. 1, p. 80-89, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2016.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

MONTENEGRO, C.A.B; REZENDE FILHO. Obstetrícia.12. ed. – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

MOREIRA. Sexualidade e gravidez: aspectos da vida da mulher- revisão da literatura. Online Brazilian Journal of Nursing,v.5,n.1, 2006. Disponívelem: . Acesso em: 20 jun. 2016.

NEME, B. Obstetrícia Básica. 3. ed. São Paulo: Savier,2005.

PAULETA. J.R.; PEREIRA,N.M.; GRAÇA, L.M. Sexualityduringpregnancy. JournalofSexual Medicine, v. 7, p. 136. Disponível em:. Acesso em: 02 jul. 2016.

PELLEGRINI, J.O. A sexualidade na gestação. Femina, Rio de Janeiro, v. 31, n. 1, p. 79-88, 2003. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2016.

PEREIRA, M.G. Epidemiologia teoria e prática. 11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

PICCININI, C.A. et al. Gestação e a construção da maternidade. Psicologia em Estudo, Maringá. v.13, n.1, p.63-72, jan/mar. 2008. Disponível em:. Acesso em:01 jul. 2016.

REBERTE, L.M; HOGA, L.A.K. O desenvolvimento de um grupo de gestante com a utilização da abordagem corporal. Texto Contexto Enfermagem, v. 14, n. 2, p. 186-192, abr/jun, 2005. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2016.

REISDORFER, E. As alterações no desejo sexual durante o período gestacional: um estudo na atenção primária. Revista Saúde e Transformação Social, Florianópolis, v.1, n.1, p. 129-136, 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2016.

SAID, F.A.No “ser com” o cuidar pelo re-significar do cotidiano de um grupo de mulheres em gestação. 1995. Dissertação (Mestrado em Assistência em Enfermagem). Curso de Pós Graduação em Enfermagem. Universidade Federal de Santa Catarina, 1995.

SETUBAL, M.S.V.; SARMENTO, R. Abordagem psicológica em obstetrícia: aspectos emocionais da gravidez, parto e puerpério. Revista Ciências Médicas, v.12, n.3, p.261-268, Campinas, jul/set, 2003. Disponível em:. Acesso em: 12 mar. 2016.

SILVA, J.C. Manual Obstétrico: um guia prático para enfermagem. 2. ed. São Paulo: Corpus, 2007.

SILVA, A.I; FIGUEREDO, B. Sexualidade na gravidez e após o parto. Psiquiatria Clínica, v. 25, n.3, p.253-264. 2005. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2016.

SILVA. E. L; MENEZES, E. M. Metodologia da Pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. Florianópolis-SC, 2005.

SIQUEIRA, M.M; CASAGRANDE,L.D.R.Noções gerais sobre abordagem sistêmica à ação educativa do enfermeiro. Revista Brasileira de Enfermagem, v.38, n. 1, p. 63-90, 1985.Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2016.

SUEIRO, E.; GAYOSO, P.; DOVAL, J.L Embarazo e Sexualidad. AtenPrim, 1998.

THEODORO, H. Mito e espiritualidade – mulheres negras. Rio de Janeiro:Pallas, 1996.

THOMAS, A.A et al. Urologic emergencies in pregnancy. Urology, v. 76, p. 453, 2010. Disponível em:. Acesso em: 09 abr. 2016.

TRINDADE, W. R.; FERREIRA, M. A. A sexualidade feminina:questões do cotidiano das mulheres.Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis, v. 17, n. 3, p, 417, 426, 2008. Disponível em:. Acesso em: 18 maio 2016.

VARGAS, E. P.; RUSSO, J.; HEILBORN, M.L. Sexualidade e reprodução: usos e valores relativos ao desejo de filhos em casais de camadas médias no Rio de Janeiro. Brasil. Cad.Saude Publica, v. 16, n. 1, p. 153-162,2010. Disponível em:. Acesso em: 23 maio 2016.

VIANA, D.F; et al. Vivência da sexualidade feminina no período gestacional: à luz da história oral temática. Ciências Cuid Saúde. v. 12, n. 1, p. 88-95, 2013. Disponível em:. Acesso em: 28 maio 2016.

ZAMPIERI, M. F.M. Vivenciando o processo educativo em enfermagem com gestantes de alto risco e seus acompanhantes, Florianópolis, UFSC, p.179, 1998. Disponível em:. Acesso em: 02 jun. 2016.

ZAMPIERI, M. F. M; BRUGGEMANN, O. M. A melodia da humanização: reflexão sobre o cuidado no processo de nascimento,Florianópolis: Cidade Futura, p. 101-170, 2001. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2016.

ZAMPIERI, M.F.M. Vivenciando o processo educativo em enfermagem com gestantes de alto risco e seus acompanhantes. Florianópolis: UFSC, 2007. Disponível em:. Acesso em: 08 jul. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.36560/1342020904

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio:
Endereço: 
Universidade Federal de Rondonópolis
Avenida dos Estudantes, 5055 - Cidade Universitária
Rondonópolis - MT, 78735-901