Stratification in the adjustment of hypsometric relationship models in forest fragment

F. R. C. B. Baptista, D. H. S. Ataíde, P. V. Rocha, L. C. Silva, E. J. G. Araújo, R. A. Curto, B. A. F. Mendonça

Resumo


The objective of this study was to find a hypsometric relationship model capable of estimating the height of trees in unequal forest fragment, testing the efficiency of stratification by species, ecological group and diametric class. In the unequal forest fragment (2.2 ha) belonging to the Federal Rural University of Rio de Janeiro, Seropédica / RJ, a census was carried out, botanical identification of trees with a diameter ≥ 5 cm, being this variable measured, as well as their respective height total. The data were stratified into ecological group, species and diametric class, and then ten traditional models of hypsometric relation were adjusted for the general database and for each stratum. The significance of the models was evaluated by the F test and the t test, with 95% probability. Trends of the estimates were verified with graphical analysis of the residues, being also observed the coefficient of determination (R2aj.) and standard error of the estimate in percentage (Syx%). By means of the regression parameters, the Graybill models identity test was subsidized. The Trorey model was chosen and it was observed that the stratification by species and ecological group made the adjustment more efficient. Stratification in diametric class showed no gain.


Palavras-chave


relationship height/diameter; identity of models; stratification.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; MORAES GONÇALVES, J. L.; SPAROVEK, G. Koppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, Stuttgart, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013. DOI: 10.1127/0941-2948/2013/0507

ANDRADE, V. C. L. DE; MARTINS, S. V.; CALEGÁRIO, N. CHICHORRO, J. F. Influência de três sistemas de amostragem na estimativa da relação hipsométrica e do volume de árvores em um fragmento de Mata Atlântica. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 70, p. 31-37, 2006.

ANDRADE, V. C. L. DE; KROETZ, E. A.; NICOLA, A.; SOUZA, P. B. DE; NOHAMA, F. K.; LEITE, H. G.; BINOTI, D. H. B.; BINOTI, M. L. M. S. Amostragem e agrupamento de dados de relação hipsométrica em inventários florestais de Cerrado Tocantinense. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 35, n. 83, p. 227-238, 2015. DOI: 10.4336/2015.pfb.35.83.683

ARAÚJO, E. J. G. DE; PELISSARI, A. L.; DAVID, H. C. SCOLFORO, J. R. S.; PÉLLICO NETTO, S.; MORAIS, V. A. Relação hipsométrica para candeia (Eremanthus erythropappus) com diferentes espaçamentos de plantio em Minas Gerais, Brasil. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo v. 32, n. 71, p. 257-268, 2012. DOI: 10.4336/2012.pfb.32.71.257

CALEGARIO, N.; SCOLOFORO, J. R. S.; SOUZA, A. L. Estratificação em alturas para floresta natural heterogênea: uma proposta metodológica. Cerne, Lavras, v. 1, n. 1, p. 58-63, 1994.

CURTO, R. A.; LOUREIRO, G. H.; MÔRA, R.; MIRANDA, R. O. V. DE; PÉLLICO NETTO, S.; SILVA, G. F. Relações hipsométricas em floresta estacional semidecidual. Revista de Ciências Agrárias, Belém, v. 57, n. 1, p. 57-66, jan./mar. 2014. DOI: 10.4322/rca.2013.066

CURTO, R. A.; WINK, C.; ARAÚJO, E. J. G.; KOHLER, S. V. Modelos de relação hipsométrica por classe de aproveitamento em floresta de transição Cerrado-Amazônia no Mato Grosso. Enciclopédia biosfera, Goiânia, v.10, n.18, p. 687-700, 2018.

GRAYBILL, F. A. Theory and application of the linear model. Belmont: Duxbury, 2000.

HESS, A. F.; BRAZ, E. M.; THAINES, F.; MATTOS, P.P. DE. Adjustment of the hypsometric relationship for species of Amazon Forest. Ambiência, Guarapuava, v. 10, n. 1, p. 21-29, 2014. DOI: 10.5935/ambiencia.2014.01.02

LEVINE, D. M.; STEPHAN, D. F.; SZABAT, K. A. Estatística: Teoria e Aplicações. 7ª Ed. Rio de Janeiro, RJ: Livros Técnicos e Científicos, 2017. 760 p.

LIMA, J. P. DA C.; LEÃO, J. R. A. Dinâmica de Crescimento e Distribuição Diamétrica de Fragmentos de Florestas Nativa e Plantada na Amazônia Sul Ocidental. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 20, n. 1, p. 70-79, 2013.

MACHADO, S. A.; NASCIMENTO, R. G. M.; AUGUSTYNCZIK, A. L. D.; SILVA, L. C. R. DA S.; FIGURA, M. A.; PEREIRA, E. M.; TÉO, S. J. Comportamento da relação hipsométrica de Araucaria angustifolia no capão da Engenharia Florestal da UFPR. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, n. 56, p. 5-16, 2008.

MARTINS, R. M.; LEITE, M. V. S.; CABACINHA, C. D.; ASSIS, A. L. Teste de identidade de modelos volumétricos para povoamentos de Eucalyptus sp. em sete Municípios de Minas Gerais. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 11, n. 21, p. 1818-1833, 2015.

REVEAL, J. L.; CHASE, M. W. APG III: Bibliographical information and synonymy of Magnoliidae. Phytotaxa, Auckland, v. 19, p. 71-134, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.11646/phytotaxa.19.1.4

RODRIGUES, C. K.; LOPES, E. DA S.; FIGUEIREDO FILHO, A.; PELISSARI, A. L. Identidade de modelos hipsométricos e volumétricos de povoamentos de pinus com diferentes idades submetidos ao desbaste mecanizado. BIOFIX Scientific Journal, Curitiba, v. 2, n. 1, p. 54-59, 2017. DOI: 10.5380/biofix.v2i1.51947

SANQUETTA, C. R.; DALLA CORTE, A. P.; ROGL, A.; PIMENTEL, A. Relações diâmetro-altura para espécies lenhosas em um fragmento de floresta ombrófila mista no sul do Paraná. Iheringia, Porto Alegre, v. 68, n. 1, p. 103-114, 2013.

SANTOS, F. M.; BALIEIRO, F. C.; ATAÍDE, D. H. DOS S.; DINIZ, A. R.; CHAER, G. M. Dynamics of aboveground biomass accumulation in monospecific and mixed- species plantations of Eucalyptus and Acacia on a Brazilian sandy soil. Forest Ecology and Management, Amsterdam v. 363, p. 86-97, 2016. DOI: https://doi.org/10.1016/j.foreco.2015.12.028

SCOLFORO, J. R. S. Biometria florestal: parte I: modelos de regressão linear e não linear; parte II: modelos para relação hipsométrica, volume, afilamento e peso de matéria seca. Lavras: UFLA/FAEPE, 2005. 352 p.

SILVA, G. F.; CURTO, R. A.; SOARES, C. P. B.; PIASSI, L. C. Avaliação de métodos de medição de altura em florestas naturais. Revista Árvore, Viçosa, v. 36, n. 2, p. 341-348, 2012. DOI: 10.1590/S0100-67622012000200015

STAUB, C. M. M.; SANQUETTA, C. R.; DALLA CORTE, A. P.; SANQUETTA, M. N. I.; VASCONCELLOS, B. N. Equações hipsométricas para plantios mistos de restauração florestal na Mata Atlântica em Seropédica-RJ. Enciclopédia biosfera, Goiânia, v.10, n.18, 2014.

TRAUTENMÜLLER, J. W.; BALBINOT, R.; GONZATTO, G. L.; WATZLAWICK, L. F.; VENDRUSCOLO, R. Relação hipsométrica em Floresta Estacional Decidual. Enciclopédia biosfera, Goiânia,




DOI: http://dx.doi.org/10.36560/1262019928

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio:
Endereço: 
Universidade Federal de Rondonópolis
Avenida dos Estudantes, 5055 - Cidade Universitária
Rondonópolis - MT, 78735-901