Economic overview of ornamental flowers and plants in Brazil

J. N. C. Souza, J. W. M. Diniz, F. A. O. Silva, N. D. R. Almeida

Resumo


This work aims to study the panorama of the floriculture and ornamental plants sector in Brazil, highlighting the main aspects related to area, production and distribution in the national scenario and consumption, the material used to obtain the data regarding the research carried out, was extracted from sources of research. Floriculture was an activity that was restricted only in the Southeast, more specifically in the State of São Paulo. Currently, due to the work of several institutions, this sector can be expanded to other regions of the country. Floriculture has great socioeconomic potential, generating jobs mainly for small producers. Although floriculture has great potential for expansion, it still has great difficulties due to the lack of habit of Brazilians in consuming flowers. The results showed that the domestic market generates a considerable source of income for the population in general, the ease of access of these products, makes the consumption of flowers in the country have gained more and more space, although it is very low in relation to other countries. Brazil has resulted in annual growth of 6.26% in recent years, moving around US $ 750 million per year, with a per capita consumption of US $ 4.70 and has 18,000 sales points throughout the country. The foreign market, however, has a remarkable growth, however, it needs to conquer much more space with other South American countries, corresponding to only 0.22% of the world market. Brazil exports to 40 destinations, with Holland being the largest buyer, followed by the United States. In 2011, Brazil exported US $ 20,699,521, 40.33% of which was related to ornamental plants, 48.37% for bulbs, rhizomes and similar, 3.67% fresh flowers and 7.63% of other products. It is concluded that there is a need to formulate strategies to manage in a way that the productive and commercial sectors grow in order to strengthen the market.


Palavras-chave


Consumption, Flowers, Market, Production

Texto completo:

PDF

Referências


AKI, A; PEROSA, J.M.Y. Aspectos da produção e consumo de flores e plantas ornamentais no Brasil. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Campinas, v.8, n.1/2, p.13-23, 2002.

ALICEWEB - MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR (MDIC). ALICEWEB-06- Plantas vivas e produtos de floricultura. Disponível em: . Acesso em: 04/10/2018.

BONGERS, F.J.G. Informativo IBRAFLOR. Holambra, 2000.1-10 p

GOMES, A. R. M. Estimativa da evapotranspiração e coeficientes de cultivo da helicônia sob diferentes níveis de adubação e espaçamento na região de ParaipabaCE. Fortaleza: UFC, 2004. 75p.:il. (DISSERTAÇÃO DE MESTRADO).

IBRAFLOR (INSTITUTO BRASILEIRO DE FLORICULTURA) Números do setor 2012. Disponível em: . Acesso em: 18/09/2018.

IBRAFLOR (INSTITUTO BRASILEIRO DE FLORICULTURA) Números do setor 2013. Disponível em: . Acesso em: 18/09/2018.

IBRAFLOR. Números do setor, 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 setembro. 2018

IBRAFLOR. Mercado Interno 12.2014. Holambra, SP: IBRAFLOR, 2015.

IBRAFLOR (INSTITUTO BRASILEIRO DE FLORICULTURA) Números do setor 2017. Disponível em: . Acesso em: 20/10/2018.

JUNQUEIRA, A. H.; PEETZ, M. S. Visão global: a cadeia produtiva de flores e plantas ornamentais no Brasil caminha a passos largos na implantação de um padrão internacional de gestão. Revista Cultivar HF, Pelotas, Ano VI, n.34, p.38, outubro/ novembro 2005b.

JUNQUEIRA, A. H. PEETZ, M. S. As flores Brasileiras em 2007. Tecnologias de Produção HFF & Citrus, Santo Antonio de Posse, SP, Ano III, 17/18. ed., p. 26-30, especial dez. 2006a

JUNQUEIRA, A.; PEETZ, M. Exportações de flores e plantas ornamentais superam US$ 35 milhões em 2007: recorde e novos desafios para o Brasil -análise conjuntural da evolução das exportações de flores e plantas ornamentais do Brasil no período de janeiro a dezembro de 2007. São Paulo, 2008. Disponível em: . Acesso em: 05 setembro. 2018

JUNQUEIRA, A. H.; PEETZ, M. S. Mercado interno para os produtos da floricultura Brasileira: características, tendências e importância socioeconômica recente. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Campinas, v. 14, n. 1, p. 37-52, 2008.

OLIVEIRA, A. A. P.; BRAINER, M. S. Série documentos do ETENE, n.16, Floricultura: Caracterização e mercado, Banco do Nordeste do Brasil. Fortaleza, 2007.180 p.

PATHFAST. World Exporters of Floricultural Products. Disponível em: http://www.pathfastpublishing.com/ITS20/ITS21/1%20CONTENTS%202001.htm.

SEBRAE-PE. Floricultura em Pernambuco. Recife, 2002. (Série Agronegócio).

SEBRAE. Flores e Plantas ornamentais do Brasil: Série estudos mercadológicos; Vol. 2. Disponível em: http://www.sebrae.com.br Acesso em: 20 setembro 2018

SEBRAE. Flores e Plantas ornamentais do Brasil: Série estudos mercadológicos; Vol. 3. Disponível em: http://www.sebrae.com.br Acesso em: 20 setembro 2018

SEBRAE. Flores e Plantas ornamentais do Brasil: Série estudos mercadológicos; Vol. 1. Disponível em: http://www.sebrae.com.br Acesso em: 20 setembro 2018

SECEX: Secretaria de Comércio Exterior. Exportação e importação Brasileira de plantas vivas e produtos de floricultura, 1989-2003. Disponível em: http://aliceweb. mdic.gov.br/consulta_nova/resultadoConsulta.asp. Acesso em: 15 setembro. 2018

VENCATO, Ângela. et. al. Anuário Brasileiro das flores 2006. Santa Cruz do Sul:Gazeta Santa Cruz, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.36560/1352020943

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio:
Endereço: 
Universidade Federal de Rondonópolis
Avenida dos Estudantes, 5055 - Cidade Universitária
Rondonópolis - MT, 78735-901