O uso de estimulante afeta ou não o desenvolvimento inicial da cana-de-açúcar?

Autores

  • Rodrigo Giolo Centro Universitário de Votuporanga
  • Rafael Rodrigues Centro Universitário de Votuporanga
  • Vanessa Cury Galati Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Mariane Barbara
  • Marco Antônio Vrech Centro Universitário de Votuporanga

DOI:

https://doi.org/10.36560/14320211210

Palavras-chave:

Saccharum officinarum. bioestimulantes. perfilhos.

Resumo

A cana-de-açúcar (Saccharum officinarum) é uma das culturas de maior importância socioeconômica no Brasil, exercendo função de destaque na produção de açúcar e álcool. A busca intensiva por técnicas que maximizem a produtividade no cultivo de cana-de-açúcar aponta a aplicação de reguladores vegetais ou biorreguladores visando aumentos quantitativos e qualitativos na produção. Frente ao exposto, o presente trabalho tem por objetivo avaliar diferentes doses de estimulante a fim de verificar o desenvolvimento inicial das raízes. O experimento foi conduzido na cidade de Cosmorama/SP. Utilizaram-se rebolos provenientes de cana-de-açúcar da variedade RB86 – 7515, que foram acomodados em tubetes para aplicação dos tratamentos que correspondem ao parcelamento da dose recomendada pelo fabricante: T0 – 0%, T1 – 50%, T2 – 100% (dose recomendada pelo fabricante), T3 – 150% e T4 – 200%). Foram avaliados os parâmetros altura do perfilho (AP), número de perfilho (NP), diâmetro do perfilho (DP) e massa seca dos perfilhos com suas raízes (MSPR). Os tratamentos T0, T1 e T2 não apresentaram diferenças significativas em relação à AP e DP. Não houve diferenças estatísticas entre os tratamentos quando se analisou DP e MSPR. Com este estudo pode-se concluir que o uso de 50% da dose recomendada de ácido 4-indol-3-ilbutírico +ácido giberélico + cinetina influenciou, principalmente, na altura de perfilho, no entanto, para os outros parâmetros avaliados a aplicação de bioestimulantes no desenvolvimento inicial da raiz não apresentou um resultado satisfatório

Referências

ANDRADE NETO, O. et al. Reguladores vegetais na brotação e desenvolvimento de mudas de cana-de-açúcar (Saccharum officinarum var. RB 855536). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOLOGIA VEGETAL, 11., 2007, Gramado, RS. Resumo... Gramado: Sociedade Brasileira de Fisiologia Vegetal, 2007.

ARAUJO, R. B. D. Avaliação de diferentes tipos de propágulos no desenvolvimento inicial da cana-de-açúcar (Saccharum officinarum L.). Tese de Doutorado na área de Fitotecnia apresentada à Universidade de São Paulo. Piracicaba – SP, 2015.

BARROS, E.; SIMOES, W.; LOPES, I.; do NASCIMENTO, F. M. F.; SANTOS, I.; NERY, F. Bioestiimulante e o cultivo da cana de açúcar em condições Semiáridas. In Embrapa Semiárido-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: CONGRESSO NACIONAL DE IRRIGAÇÃO E DRENAGEM, 25., 2015, São Cristóvão Agricultura irrigada no Semiárido brasileiro: anais. São Cristóvão: ABID: Universidade Federal de Sergipe, 2015.

BASÍLIO, P.P. Desenvolvimento inicial do broto principal e perfilhamento de mudas pré-brotadas de cana-de-açúcar, em função do uso de bioestimulante, micronutrientes e

hidrogel. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Agronomia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Uberlândia – MG, 2019.

CAPUTO, M.M. et al. Acúmulo de sacarose, produtividade e florescimento de cana-de-açúcar sob reguladores vegetais. Interciencia, Caracas, v.32, n.12, p.834-840, 2007.

CONAB. COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Boletim técnico de cana-de-açúcar, safra 2019/2020. Disponível em: <https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/cana>. Acesso em: 31 Março de 2020.

DAVIES, P.J. Plant hormones: biosynthesis, signal transduction, action. 3.ed. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 2004. 750p.

ENDRES, L., WANDERLEY FILHO, H.C.L., CLEMENTE, P. R., BEZERRA, B. K., FERREIRA, V.M. Root-promoting substances enhance Sugarcane's drought tolerance. African Journal of Agricultural Research. v. 11, n.52, p. 5162-5170, 2016.

FERREIRA, M. M. R.; FERREIRA, L. H. Z.; BOLONHEZI, A. C. Reguladores vegetais aplicados no sulco de plantio em cultivares de cana -de-açúcar. Scientia Agraria, Curitiba, v.14, n.2, p.59-64, mar/ago, 2013

FIGUEIRA, J. de A.; CARVALHO, P. H.; SATO, H. H. Sugarcane starch: quantitative determination and characterization. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v 31, n. 3, p. 806- 815, 2011.

JÚNIOR, W. P. O.F. Bioestimulante, hidrogel e micronutrientes no desenvolvimento inicial do segundo perfilho de mudas pré-brotadas de cana-de-açúcar. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Agronomia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Uberlândia – MG, 2019.

KIMURA, W.J.; BEAUCLAIR, E.G.F. Resposta da brotação a diferentes bioestimulantes na cultura da cana-de-açúcar. Piracicaba; ESALQ, 2009.

LANDELL, M. G. A.; CAMPANA, M. P.; FIGUEIREDO, P. Sistema de multiplicação de canade-açúcar com uso de mudas pré-brotadas (MPB), oriundas de gemas individualizadas. Campinas: Instituto Agronômico, 2012. 16p. (Documento IAC, n. 109).

MEDEIROS, M. H. Desenvolvimento Inicial da cana-de-açúcar fertilizada com organomineral à base de lodo de esgoto com e sem bioestimulante. Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Agronomia, apresentado a Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, 2019.

MIGUEL, F.B.; SILVA, J.A.A.; BÁRBARO, I.M., ESPERANCINI , M.S.T.; TICELLI, M.; COSTA, A.G.F. Viabilidade econômica na utilização de um regulador vegetal em canaplanta. Informações Econômicas, 39;53-59.2009.

NAILWAL, T.K.; GUPTA, V.K.; SAND, N.K.; PANT, R.C. Role of ethylene in tillering of sugarcane (Saccharum officinarum L.). Physiology and Molecular Biology of Plants, Nova Delhi, v. 10, n. 1, p. 127-130, 2004.

PAULI, D. G. de, Planejamento da qualidade do plantio mecanizado de cana de açúcar. 2009. 275 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2009.

RAMOS, A. R.; BINOTTI, F. F. S.; SILVA, T. R.; SILVA, U. R. Bioestimulante no condicionamento fisiológico e tratamento de sementes de feijão. Revista Biociências, v.21, n.1, p. 76-88, 2015.

REICHERT, J. M.; AMADO, T. J. C.; REINERT, D. J. RODRIGUES, M. F.; SUZUKI, L. E. A. S. Land use effects on subtropical, sandy soil under sandyzation/desertification processes. Agriculture, Ecosystems & Environment. v. 233, n. 3, p. 370-380, 2016

RIPOLI, T. C. C.; RIPOLI, M. L. C.; CASAGRANDI, D. V. Produção de cana-de334 açúcar: estado da arte. Piracicaba: Ed. dos autores, 2006. 2016 p.

SILVA, I. D. N. D. Resposta da cana-de-açúcar ao uso de bioestimulante sob diferentes densidades de plantio. Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Agronomia, apresentado a Universidade Federal da Paraíba, Areia, PB, 2018.

SILVA, M. A.; ARANTES, M. T.; RHEIN, A. F. L.; GAVA, G. J. C.; KOLLN, O. T. Po- encial produtivo da cana-de-açúcar sob irrigação por gotejamento em função de variedades e ciclos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 12, n.4, p. 241-249, 2014.

SILVA, M. de A.; JERONIMO, E. M.; LÕCIO, Al. D. Perfilhamento e produtividade de cana-de-açúcar com diferentes alturas de corte e épocas de colheita. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 43, n. 8, p.979-986, 2008.

SILVA, M.A.; GAVA, G.J.; CAPUTO, M.M. et al. Uso de reguladores de crescimento como potencializadores do perfilhamento e da produtividade em cana-soca. Bragantia, v.66, n.4,p.545-552, 2007.

SILVA, M. A.; Biorreguladores: Nova Tecnologia Para Maior Produtividade E Longevidade Do Canavial. Pesquisa e Tecnologia. São Paulo; v. 7, n. 2, jul-dez, 2010.

SOUSA, R.T.X.; KORNDÖRFER, G.H. Uso de micronutrientes e estimulantes de crescimento na produtividade e parâmetros tecnológicos da cana-de-açúcar. In: FERTBIO 2010, Guarapari, 2010. Anais... Guarapari: SBCS, 2010, 4p.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 819 p.

ZILLIANI, R. R. Influência de biorreguladores sobre a fisiologia e crescimento inicial de cana-de-açúcar submetida ao déficit hídrico. 2015, 59 f. Dissertação de Mestrado em Agronomia, apresentado a Universidade do Oeste Paulista. Presidente Prudente, SP, 2015.

Downloads

Publicado

2021-02-26

Como Citar

Giolo, R., Rodrigues, R., Galati, V. C., Barbara, M., & Vrech, M. A. (2021). O uso de estimulante afeta ou não o desenvolvimento inicial da cana-de-açúcar?. Scientific Electronic Archives, 14(3), 46–52. https://doi.org/10.36560/14320211210

Edição

Seção

Agricultural Science