Levantamento das alterações do trato gastrointestinal em cães submetidos a necropsia na Universidade Presidente Antônio Carlos, em Uberlândia-MG

Autores

  • D. F. Ferreira Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC)
  • C. C. Fernandes Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC)
  • A. S. Dias Laboratório Federal de Defesa Agropecuária/Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.36560/14320211238

Resumo

O sistema digestório tem como função fazer a digestão e absorção de nutrientes de modo a fornecer energia para o crescimento e renovação celular. Esse sistema é constituído pelos seguintes segmentos: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso e canal anal. Os cães estão expostos a vários agentes (bactérias, vírus, parasitos e corpos estranhos) que podem acarretar diversos distúrbios gastrointestinais e provocar alterações patológicas no trato gastrointestinal. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi identificar as principais patologias encontradas no estômago e intestino de cães por meio do exame de necropsia. Para tanto, foram avaliadas 83 fichas de necropsias preenchidas entre fevereiro de 2014 e abril de 2016, provenientes das aulas práticas de Patologia Animal da Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC), de Uberlândia-MG. Durante o estudo, apuraram-se alterações gastrointestinais em 70 casos do total analisado. Ao final do levantamento, constataram-se como alterações mais frequentes: mucosa espessada e hiperêmica, presença de hemorragia, presença de muco e erosões na mucosa.

Referências

UGUSTI, L. M. Anticorpos contra o herpesvírus canino tipo I em cães domiciliados e de abrigos no Rio Grande do Sul. 34f. 2016. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016.

CARLTON, W. W.; MCGAVIN, M. D. Patologia veterinária especial de Thomson. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

CASCON, C. M.; et al. Avaliação clínica, endoscópica e histopatológica em cães com doença inflamatória intestinal. Pesq. Vet. Bras. 37(11), 1287-1291, 2017.

CHEVILLE, N. F. Introdução à patologia veterinária. 3.ed. São Paulo: Manole, 2009.

EVARISTO, T. A. et al. Prevalência de parasitos gastrointestinais em amostras fecais de cães em praça pública nos munícipios de Pedro Osório e Cerrito, RS. Atas de Saúde Ambiental (São Paulo, online). 6(1), 70-84, 2018.

GETTY, R. Anatomia dos animais domésticos. 5.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.

GRANO, F. G. et al. Gastroenterite hemorrágica – Relato de caso. Revista científica eletrônica de Medicina Veterinária. 13, 1-5, 2009.

GUIDOLIN, L. L. Dilatação gástrica-vólvulo em cães: Revisão de literatura. 41f. 2009. Monografia (Especialização). Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Caraúbas, 2009.

KUMAR, V., ABBAS, A. K., ASTER, J. C. Cavidade Oral e Trato Gastrointestinal. In: KUMAR, V., ABBAS, A. K., ASTER, J. C. Robbins Patologia Básica. 8ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

MOSQUINI, A. F.; et al. Ingestão de corpos estranhos-Relato de caso. Revista científica eletrônica de medicina veterinária. 9(18), 1-5, 2012.

MOUTINHO, F. Q. et al. Prevalência de helicobactérias e alterações na mucosa gástrica de cães saudáveis. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. 59(4), 1080-1083, 2007.

NELSON, R. W. et al. Medicina interna de pequenos animais. 2.ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2001.

OLIVEIRA, E. C. de. Achados patológicos e avaliação imuno-histoquímica em cães com Parvovirose canina. 68f. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

OLIVEIRA, E. C. et al. Achados clínicos e patológicos em cães infectados naturalmente por herpesvírus canino. Pesq. Vet. Bras. 29(8), 637-642, 2009.

OLIVEIRA-BARROS, L. M. de; MATERA, J. M. Intussuscepção em cães: revisão de literatura. Ciência Agrária Ambiente. 7(3), 265-272, 2009.

REECE, W. O. Dukes, fisiologia dos animais domésticos. 12.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

RODRIGUES, B.; MOLINARI, B. L. D. Diagnóstico e tratamento de parvovirose canina: revisão de literatura. Braz. J. Surg. Clin. Res. V.21,n.2,pp.127-134 (Dez 2017 - Fev 2018).

RODRIGUES, M. D. et al. Gastroenterite canina: principais agentes etiológicos. Ciência Veterinária UniFil, v. 1, n. 2, abr./jun. 2018.

SILVA DA ILHA, M. R. de.; LORETTI, A. P.; BARROS, C. S. L. de. Linfangiectasia intestinal e linfangite lipogranulomatosa em dois caninos. Ciência Rural. 34(4), 1155-1161, 2004.

SILVA, M. S. M. Etiologias de gastroenterites primitivas agudas em cães: estudo retrospetivo 158 casos clínicos. UNIVERSIDADE de LISBOA, 2019

VIEIRA, F. T. de. et al. Frequência e distrbuição de Helicobacter spp. Na mucosa gástrica de cães. Rev. Ceres, Viçosa, v. 59, n.1, p. 25-31, jan/fev, 2012

WERNER, P. R. Patologia geral veterinária aplicada. 1.ed. São Paulo: Roca, 2010.

Downloads

Publicado

2021-02-26

Como Citar

Ferreira, D. F., Fernandes, C. C., & Dias, A. S. . (2021). Levantamento das alterações do trato gastrointestinal em cães submetidos a necropsia na Universidade Presidente Antônio Carlos, em Uberlândia-MG. Scientific Electronic Archives, 14(3), 94–98. https://doi.org/10.36560/14320211238

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)