O papel do enfermeiro no setor de pronto atendimento: um relato de experiência

Autores

  • Alessandra Paiz Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Carime Bueno Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Maraisa Manorov Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Rozana Bellaver Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Gelson Aguiar da Silva Moser Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Denise Consuelo Moser Aguiar Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Tatiana Gafurri da Silva Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Silvia Silva de Souza Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Fabiana Brum Hagg Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Suellen Rodrigues de Oliveira Maier Universidade Federal de Rondonópolis

DOI:

https://doi.org/10.36560/14320211233

Palavras-chave:

Emergências, Papel do profissional de enfermagem, Educação continuada.

Resumo

Demonstrar as experiências acerca do papel do enfermeiro no setor de pronto socorro de um Hospital referência do Oeste de Santa Catarina, por acadêmicas do curso de enfermagem. Relato de experiência embasado na vivência de acadêmicas do curso de graduação em Enfermagem pela UFFS em unidade de pronto socorro. Tornou-se possível identificar que o profissional de enfermagem possui um papel de extrema importância neste setor de urgência e emergência, onde exige responsabilidade, conhecimento e organização, tanto na assistência quanto na gestão. Tendo em vista de que a demanda por este serviço cresce a cada dia e que inúmeras situações surgem neste contexto, ter uma equipe qualificada contribui para o bom andamento da unidade e bom prognóstico para aos pacientes. Ainda, para atingir bons resultados, tornam-se necessárias a realização de capacitações e educações permanentes para a equipe, a fim de aperfeiçoar e atualizar seus conhecimentos para melhor atender a população que necessita deste serviço. A extrema diversidade e complexidade da demanda desse setor exige que o enfermeiro assuma diversos papéis, de gestor, articulador, comunicador e líder, para que em conjunto de sua equipe desenvolva todas as dimensões do cuidado.

Referências

BACKES, D. S. et al. O papel do enfermeiro no contexto hospitalar: a visão de profissionais de saúde. Cienc Cuid Saude, 7(3):319-326, 2008.

BUGS, T.V. et al. Dificuldades do enfermeiro no gerenciamento da unidade de pronto–socorro Hospitalar. Rev Enferm UFSM, 7(1): 90-99, 2017

Brasil. (2001) Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução

CNE/CES 3/2001. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de Novembro,. Seção 1, p. 37.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

BRITO, M. P. V. As atividades da enfermagem na unidade de emergência, enfermeiro-sanitarista, pós-graduado em gestão em saúde pela ENSP/Fiocruz; Rio de janeiro, 2009.

CALIL, A. M.; PARANHOS, W. Y. O enfermeiro e as situações de emergência. São Paulo: Editora Atheneu, 2010.

FARAH, B. F. Processo de trabalho em enfermagem. Universidade Federal de Juiz de Fora. Faculdade de Enfermagem - Departamento de Enfermagem Básica – EBA. Juiz de Fora, 2015. Disponível em:<http://www.ufjf.br/admenf/files/2015/03/processo-de- trabalho-em-enfermagem-adm-I.pdf>. Acesso em: 07 nov. 2017.

DA COSTA, L. P.; FOSSATI, P. Capacitação do enfermeiro na gestão em saúde: importância e realidade, Rev. de administração hospitalar e inovação em saúde, 2015.

GONÇALVES L. Processo de trabalho da enfermagem: bases qualitativas para o dimensionamento da força de trabalho em unidades de internação [tese]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2007.

HETTI, L. B. et al. Educação permanente/continuada como estratégias de gestão no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Revista Eletrônica de Enfermagem, San, v. 4, n. 15, p.973-982, out. 2013.

JORGE, V. C. et al. Equipe de enfermagem e detecção de indicadores de agravamento em pacientes de pronto-socorro. Esc Anna Nery, 16 (4):767-774, 2012.

MONTEZELI, J. H. O trabalho do enfermeiro no pronto-socorro: uma análise na perspectiva das competências gerenciais Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2009.

MONTEZELLI, J. H.; PERES, A. M.; BERNARDINO, E. Demandas institucionais e de cuidado no gerenciamento de enfermeiros em um pronto socorro. Rev Bras Enferm, Brasília, 64(2): 348-54, 2011.

NÓBREGA, M. F. B. Processo de trabalho em enfermagem na dimensão do gerenciamento do cuidado em um hospital público de ensino [dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2006.

PALHARES, V. C. et al. Avaliação da capacitação da enfermagem para atendimento da parada cardiorrespiratória. Revista de Enfermagem UFPE Online, 8(6)16-23, 2014.

ROSSI, F. R.; SILVA, M. A. D. Fundamentos para processos gerenciais na prática de cuidado. Rev Esc Enferm USP, 39(4):460-8, 2005

SOUZA, R. C. R. et al. Educação permanente e enfermagem e a interface com a ouvidoria hospitalar. Rev Rene, 11(4):85-94, 2010.

SOUZA, R. B.; SILVA, M. J. P.; NORI, A. Pronto-Socorro: uma visão sobre a interação entre profissionais de enfermagem e pacientes. Revista Gaúcha de Enfermagem, 28(2):242-9, 2007.

WEHBE, G.; GALVÃO, C.M. O enfermeiro de unidade de emergência de hospital privado: algumas considerações. Rev Latino-Am Enfermagem, 9(2):86-90, 2001

Downloads

Publicado

2021-02-26

Como Citar

Paiz, A., Bueno, C., Manorov, M., Bellaver, R., Moser, G. A. da S., Aguiar, D. C. M., Silva, T. G. da, Souza, S. S. de, Hagg, F. B., & Maier, S. R. de O. (2021). O papel do enfermeiro no setor de pronto atendimento: um relato de experiência. Scientific Electronic Archives, 14(3), 99–104. https://doi.org/10.36560/14320211233