A Internet como ferramenta para qualidade na Pesquisa: UFMT/CUR

Autores

  • Jorge Gustavo Fachim Farias Universidade Federal de Rondonópolis
  • Antonia Marilia Medeiros Nardes Universidade Federal de Rondonópolis

DOI:

https://doi.org/10.36560/14420211351

Palavras-chave:

Internet, Produção Científica, Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP)

Resumo

O estudo tem como objetivo compreender a velocidade da internet fornecida na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Universitário de Rondonópolis (CUR) é suficiente para o bom andamento das pesquisas científicas. A velocidade do link de internet disponibilizado à comunidade acadêmica foi explicada com base em uma pesquisa documental e bibliográfica sobre os contratos vigentes, a velocidade de internet fornecida, o consumo de internet da instituição, bem como os padrões nacional e internacional da velocidade de acesso à internet para uma instituição de pesquisa e ensino. Por meio de uma investigação Cienciométrica nas bases de dados da Web of Science e Scopus, foram utilizados os termos conjugados “Rondonópolis” e “Universidade Federal de Mato Grosso”, delimitando-se ao período de 2004 a 2019. Desse modo, foi possível analisar o crescimento da produção científica, comparando se uma internet inferior aos padrões nacional e internacional reduziria as publicações de artigos nessas bases. A análise dos dados possibilitou responder ao seguinte questionamento: A atual conexão à internet é suficiente para suprir as demandas de pesquisa da UFMT/CUR? Assim, apesar da velocidade de internet entregue aos 5.000 alunos ser de 300 Mbps, juntamente com a soma de todos os contratos vigentes, verificamos que o padrão nacional de acesso à internet, de 1.000 Mbps, assim como o padrão internacional, de 5.000 Mbps, não foram atingidos. Entretanto, o consumo médio para todas as suas atividades administrativas e para o ensino e pesquisa não ultrapassou a velocidade de 150 Mbps, caracterizando que, por mais que a internet fornecida não seja considerada adequada, a velocidade de acesso atual supre as demandas da UFMT/CUR. Ademais, não houve queda na produção científica, antes, pelo contrário, quando comparado ao levantamento Cienciométrico, as publicações mantiveram crescimento exponencial, ano após ano.

Referências

BRASIL. Lei nº 7.783, de 28 de junho de 1989. Dispõe sobre o exercício do direito de greve, define as atividades essenciais, regula o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/

CCIVIL_03/Leis/L7783.htm>. Acesso em: set. 2018.

BRASIL. CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO – CGU. Portal da Transparência do Governo Federal, Convênios por Estado/Município: banco de dados. Empenho nº 802956/2017. 2017. Disponível em: <http://www.portaltransparencia.gov.br/

despesas/empenho/154045152622017NE802956?ordenarPor=fase&direcao=desc>. Acesso em: fev. 2020.

BUFREM, L. S. et al. Produção Internacional Sobre Ciência Orientada a Dados: análise dos termos Data Science e E-Science na Scopus e na Web of Science. Informação & Informação, v. 21, n. 2, p. 40-67, 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2016v21n2p40>. Acesso em: 20 dez. 2019.

CAMACHO, J. F. O significado da internet e das redes para a juventude. 2013. 230 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/15989>. Acesso em: set. 2018.

CASTILHO, A.; Facó, J. F. B. (2011). A divulgação científica na universidade pública: case Universidade Federal do ABC. In XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (p. 1-15). Recife, PE: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares de Comunicação. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2011/resumos/R6-2341-1.pdf>. Acesso em: out. 2020.

DROESCHER, F. D.; SILVA, E. L. O pesquisador e a produção científica. Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte, v. 19, n. 1, p. 170-189, mar. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362014000100011&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 22 ago. 2020.

FACHIN, O. Fundamentos de Metodologia. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

FCC – Federal Communications Commission. Summary of the E-Rate Modernization Order, 2014. Disponível em: <https://www.fcc.gov/general/summary-e-rate-modernization-order>. Acesso em: 24 set. 2018.

GUIMARÃES, J. A. As razões para o avanço da produção científica brasileira. 2011. Disponível em: <https://uab.capes.gov.br/publicacoes/artigos/4720-as-razoes-para-o-avanco-da-producao-cientifica-brasileira>. Acesso em: set. 2018.

MACIEL, C. (Org.). Educação a distância: ambientes virtuais de aprendizagem. EdUFMT, 2013. Disponível em: <https://setec.ufmt.br/ri/bitstream/1/31/1/Educa%C3%A7%C3%A3o%20a%20dist%C3%A2ncia_ambientes%20virtuais%20de%20aprendizagem.pdf>. Acesso em: set. de 2020.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E.M. Fundamentos de Metodologia Científica. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MCKINSEY – McKinsey Global Institute. Global flows in a digital age: How trade, finance, people, and data connect the world economy, 2014. Disponível em: <http://www.mckinsey.com/insights/globalization/global_flows_in_a_digital_age>. Acesso em: 20 set. 2018.

MINAYO, M. S.; SANCHES, O. Quantitativo – Qualitativo: oposição ou complementaridade? Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, v. 9, n. 3: p. 239-262, jul/set. 1993.

RNP - Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. Veredas Novas, 2012. Disponível em:

<http://portal.rnp.br/web/veredasnovas>. Acesso em: mai. 2020.

RNP - Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. Mapas de evolução do backbone. Sobre a RNP, 2016a. Disponível em: <https://memoria.rnp.br/rnp/backbone-historico-graficos.html>. Acesso em: mai. 2020.

RNP - Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. Nossa História, 2018a. Disponível em: <http://www.rnp.br/institucional/nossa-historia>. Acesso em: set. 2018.

RNP - Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. Serviços Avançados, 2018b. Disponível em: <https://www.rnp.br/servicos/servicos-avancados>. Acesso em: 20 set. 2018.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: <https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/handle/123456789/1799>. Acesso em: 24 set. 2018.

SCOPUS [recurso eletrônico]. 2020. Disponível em: <https://www.scopus.com/>. Acesso em: out. 2020.

SILVA, M. Internet na escola e inclusão. Tecnologias na escola – Ministério da Educação. Brasília, 2013. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/2sf.pdf> Acesso em: 20 set. 2018.

UFMT - Universidade Federal de Mato Grosso; STI, Secretaria de Tecnologia da Informação; CUR, Campus Universitário de Rondonópolis. 2020a. Processo 23108.004279/2020-50, Ofício 5/2020/CUR – PRÓ-REITORIA – STI/UFMT. Rondonópolis, MT: Universidade Federal de Mato Grosso, 30 jan. 2020. Assunto: Informações quanto a velocidade do link de internet.

UFMT - Universidade Federal de Mato Grosso; STI, Secretaria de Tecnologia da Informação; CUR, Campus Universitário de Rondonópolis. 2020b. Processo 23108.011814/2020-29, Ofício 10/2020/CUR – PRÓ-REITORIA – STI/UFMT. Rondonópolis, MT: Universidade Federal de Mato Grosso, 20 fev. 2020. Assunto: Consumo de Internet.

WEB OF SCIENCE [recurso eletrônico]. 2020. Disponível em: <http://apps-webofknowledge.ez52.periodicos.capes.gov.br/WOS_GeneralSearch_input.do?product=WOS&search_mode=GeneralSearch&SID=8DgiuBU9sVm2P7kEKLm&preferencesSaved=> Acesso em: out. 2020.

Downloads

Publicado

2021-03-29

Como Citar

Fachim Farias, J. G., & Marilia Medeiros Nardes, A. (2021). A Internet como ferramenta para qualidade na Pesquisa: UFMT/CUR. Scientific Electronic Archives, 14(4), 60–69. https://doi.org/10.36560/14420211351

Edição

Seção

Education/Teaching