Distribuição de focos de calor na Estação Ecológica do Rio Ronuro na transição Cerrado-Amazônia, Mato Grosso, Brasil

Autores

  • Luanna Regina Figueiredo Gomes de Oliveira Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Sinop
  • Onice Teresinha Dall’Oglio Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Sinop
  • Christine Steiner São Bernardo Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Sinop
  • Cristiano Alves da Costa Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Sinop
  • Juliana dos Santos Silva Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Sinop
  • Arlindo de Paula Machado Neto Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Sinop

DOI:

https://doi.org/10.36560/17120241838

Palavras-chave:

Focos de calor, incêndios florestais, unidade de conservação.

Resumo

O presente estudo teve por objetivo analisar a distribuição espaço-temporal dos focos de calor no interior e entorno da Estação Ecológica Rio Ronuro, localizada no Estado de Mato Grosso, entre os anos de 1998 e 2019 e também estudar a influência da revogação da resolução CONAMA 13/1990 na área. Para tal trabalho, foi realizado o levantamento dos dados de cada ano através de dados disponibilizados no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), pela plataforma MapBiomas e através do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Para quantificação dos dados foram utilizados programas de edição de planilhas eletrônicas e para o fornecimento e o tratamento de imagens, o software Qgis. Dentre os resultados, existe a possibilidade da liberação da queima controlada ter influenciado no aparecimento de focos de calor nos meses de outubro e junho, bem como a redução da precipitação para o período entre os anos de 2008 a 2019. Houve o aumento do número de focos entre os meses de março a agosto (período de seca). Esse aumento também esteve presente quando se tratou das classes de uso e cobertura do solo, em que apresentou para as classes de lavouras temporárias e de soja os maiores números de focos de calor presentes por hectare. Com relação a alteração na legislação, o número de focos de calor não demonstrou um aumento significativo, porém não deixa de ser uma ameaça para a ESEC, visto que existem muitos focos próximos da unidade de conservação. Dentro deste contexto, observou-se que na área deveria ocorrer um monitoramento mais complexo, dado que essa unidade atua em regime de proteção integral, havendo uma legislação específica para ampará-la. Neste sentido, o bom entendimento da ocorrência de focos de calor e suas características permite a criação de um banco de dados com o intuito de quantificar os o número de focos de calor na área, além da identificação e ação contra possíveis incêndios florestais. Deste modo, essas informações podem auxiliar no embasamento da criação de um plano de manejo da área, contemplando a prevenção dos incêndios na ESEC.

Referências

BRASIL. LEI No. 9.985, DE 18 DE JULHO DE 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências[S. l.: s. n.] Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm. Acesso em: 25 mar. 2021.

CARDOSO, V. C.; SOUZA, S. A. de.; BIUDES, M. S.; Machado, N. G. Focos de calor na região Centro-Oeste no período de 2006 até 2012. IV Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/262223791_Focos_de_calor_na_regiao_Centro-Oeste_no_periodo_de_2006_ate_2012/link/02e7e53714aa1967e3000000/download

CEPEMAR, (Engenharia Meio ambiente e Energia Ltda). Estudo ecológico rápido para criação e implantação de unidade(s) de conservação do rio Ronuro - Volume I. Vitória (ES): [s. n.], 1998.

CONAMA, (CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE). Resolução CONAMA No. 13 de 06 de dezembro de 1990[S. l.: s. n.] Disponível em: https://www1.icmbio.gov.br/cecav/images/stories/downloads/Legislacao/Res_CONAMA_428_2010.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021.

CONAMA, (CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE). Resolução CONAMA No. 428, de 17 de dezembro de 2010[S. l.: s. n.] Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=641. Acesso em: 12 abr. 2021.

FIEDLER, N. C. et al. Ocorrência de incêndios florestais no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Goiás. Ciência Florestal, v. 16, n. 2, p. 153-161, 2006.

IBGE, (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Biomas e sistema costeiro-marinho do Brasil: compatível com a escala 1:250 000. Rio de Janeiro: IBGE, 2019 a. E-book. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101676

IBGE, (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Mapa de regiões fitoecológicas (tipos de vegetação) e outras áreas (1:12.000.000). Rio de Janeiro: [s. n.], 2019 b. Disponível em: http://www.metadados.geo.ibge.gov.br/geonetwork_ibge/srv/por/main.home?uuid=069da826-c032-4b08-a06c-e90008338774. Acesso em: 10 maio. 2019.

IBGE, (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Manual técnico da vegetação brasileira. 2a ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. E-book. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=281608

ICV (INSTITUTO CENTRO DE VIDA) Queimadas em Mato Grosso em 2019. Disponível em: <https://www.icv.org.br/2019/10/queimadasmt2019/>. Acesso em: 29 jan. 2021.

INMET, (Instituto Nacional de Meteorologia). BDMEP: Banco de dados meteorológicos. [s. l.], 2020. Disponível em: https://bdmep.inmet.gov.br/. Acesso em: 17 out. 2020.

INPE, (INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS). Perguntas frequentes. [s. l.], 2011. Disponível em: https://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas/portal/informacoes/perguntas-frequentes. Acesso em: 20 jan. 2021.

INPE, (INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS). Programa queimadas: banco de dados de queimadas. [s. l.], 2020. Disponível em: http://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas/bdqueimadas. Acesso em: 1 mar. 2021.

LAZZARINI G. M. J; FERREIRA L. C. C; FELICÍSSIMO M; F. G; LIRA R. G; JUSTINO A. G; GOMES C. S; RIBEIRO J. C. N; MAGALHÃES G. R. D. Análise da distribuição de focos de calor no Tocantins entre 2002 e 2011. Interface. 2012;(5):24-35.

LIMA, A.; SHIMABUKURO, Y. E.; ANDERSON, L. O.; TOREZAN, J. M. D.; RUDORFF, B. F. T.; RIZZI, R. Atualização cartográfica do mapa de cobertura do Mato Grosso através da integração de mapas provenientes de imagens TM e MODIS. Anais XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Florianópolis. INPE. 2007.

MACHADO-NETO, A. P. Diagnóstico dos incêndios florestais no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães no período de 2005 a 2014. p. 149, 2016.

MAPBIOMAS. MapBiomas General Handbook: Algorithm Theoretical Basis Document (ATBD) - Collection 5. [S. l.: s. n.]. E-book. Disponível em: https://mapbiomas-br-site.s3.amazonaws.com/ATBD_Collection_5_v1.pdf

MATO GROSSO. LEI COMPLEMENTAR No. 233, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2005. Dispõe sobre a Política Florestal do Estado de Mato Grosso e dá outras providências[S. l.: s. n.] Disponível em: https://www.al.mt.gov.br/storage/webdisco/leis/lc-233-2005.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021b.

MATO GROSSO. LEI No. 8.325, DE 20 DE MAIO DE 2005. Altera os limites da Estação Ecológica do Rio Ronuro e dá outras providências[S. l.: s. n.]

MATO GROSSO. DECRETO No. 2.207 DE 23 DE ABRIL DE 1998 - Cria Estação Ecológica Estadual do Rio Ronuro no Estado de MT e dá providência.[S. l.: s. n.] Disponível em: https://documentacao.socioambiental.org/ato_normativo/UC/5156_20201012_173728.pdf. Acesso em: 2 mar. 2021.

MELLO, N. G. R. de.; ARTAXO, P. Evolução do plano de ação para prevenção e controle do desmatamento na Amazônia Legal. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. n. 66, p. 108-129, abril de 2017.

MMA, (Ministério do Meio Ambiente). Cadastro Nacional de Unidades de Conservação: Relatório Parametrizado - Unidade de Conservação. [s. l.], 2015. Disponível em: http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=451. Acesso em: 2 mar. 2021.

QGIS.ORG. QGIS Geographic Information System. QGIS Association. [s. l.], 2021. Disponível em: https://www.qgis.org/. Acesso em: 2 mar. 2021.

SANTOS, C. A. P. dos; SOUZA, U. B. de; SILVA, W. L. Quantificação dos focos de calor na Mesorregião do Extremo Oeste Baiano. Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Curitiba. INPE. 2011.

SEFAZ, (Secretaria de Estado de Fazenda). Mato Grosso reduz em 60% o número de focos de calor em 2009. [s. l.], 2009. Disponível em: https://www5.sefaz.mt.gov.br/-/mato-grosso-reduz-em-60-o-numero-de-focos-de-calor-em-2009. Acesso em: 10 mar. 2021.

SEMA, (Secretaria de Meio Ambiente). Unidades de Conservação Estaduais. [s. l.], 2010. Disponível em: http://www.sema.mt.gov.br/site/index.php/unidades-de-conservacao/unidades-de-conserva%C3%A7%C3%A3o-estaduais. Acesso em: 10 mar. 2021.

SHIMABUKURO, Y. E.; RUDORFF, B. F. T. Dados do sensor MODIS para o mapeamento e monitoramento da cobertura vegetal e uso da terra. Anais 1º Simpósio de Geotecnologias no Pantanal. Campo Grande, EMBRAPA/INPE. 2006.

SOARES, R. V.; BATISTA, A. C. Incêndios Florestais: controle, efeitos e uso do fogo. Curitiba: [s.n.] 2007.

SOUZA JUNIOR, C. M.; SHIMBO, J. Z.; ROSA, M. R.; PARENTE, L. L.; ALENCAR, A. A.; RUDORFF, B. F. T.; HASENACK, H.; MATSUMOTO, M. FERREIRA, L. G.; SOUZA-FILHO, P. W. M.; OLIVEIRA, S. W. de; ROCHA, W. F.; FONSECA, A.V.; MARQUES, C. B.; DINIZ, C. G.; COSTA, D.; MONTEIRO, D.; ROSA, E. R.; VÉLEZ-MARTIN, E.; WEBER, E. J.; LENTI, F. E. B.; PATERNOST, F. F.; PAREYN, F. G. C.; SIQUEIRA, J. V.; VIERA, J. L.; NETO, L. C. F.; SARAIVA, M. M.; SALES, M. H.; SALGADO, M. P. G.; VASCONCELOS, R.; GALANO, S.; MESQUITA V. V.; AZEVEDO, T. Reconstructing three decades of land use and land cover changes in Brazilian biomes with Landsat archive and Earth Engine. Remote Sensing, v. 12, n. 17, p. 2735, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.3390/rs12172735.

SOUZA, A. P. de; MOTA, L. L. da; ZAMADEI, T.; MARTIM, C. C. Classificação Climática E Balanço Hídrico Climatológico No Estado De Mato Grosso. Nativa, n. 1948, p. 34–43, 2013b.

TORRES, F. T. P. Relações entre fatores climáticos e ocorrências de incêndios florestais na cidade de Juiz de Fora (MG). Caminhos de Geografia. 2006.

Publicado

2023-12-24

Como Citar

Oliveira, L. R. F. G. de, Dall’Oglio, O. T., Bernardo, C. S. S., da Costa, C. A. ., Silva, J. dos S. ., & Machado Neto, A. de P. (2023). Distribuição de focos de calor na Estação Ecológica do Rio Ronuro na transição Cerrado-Amazônia, Mato Grosso, Brasil. Scientific Electronic Archives, 17(1). https://doi.org/10.36560/17120241838

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)